Mitos e verdades

  • Seguro de Vida é caro?

    Seguro não é caro. Uma pesquisa recente apontou que as pessoas acham que o Seguro de Vida custa até 3 vezes mais do que o preço real dele. O problema é que pensamos no Seguro de Vida como um gasto e não como um investimento no futuro. Ele pode custar menos que uma pizza aos domingos.

  • O Seguro pode ser usado em vida?

    Sim, o Seguro de Vida também protege em vida! Se você precisar parar de trabalhar por conta de um acidente ou doença grave, ter um Seguro pode ser a solução dos seus problemas financeiros. O Seguro de Vida representa também proteção para aqueles que dependem de você. Essa proteção pode ser fundamental caso aconteça alguma coisa que te impeça de trabalhar, seja por um tempo determinado ou para sempre.

  • É necessário declarar a indenização do Seguro de Vida no imposto de renda?

    Sim, apesar de isento o valor deve ser informado na declaração. Dessa forma, o contribuinte que recebeu indenização de seguro de vida ou de DIT não pagará imposto, mas deve preencher o valor correspondente na ficha de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

    O Informe de Rendimentos será enviado para todos os segurados/beneficiários que receberam indenização de seguro e/ou nos casos em que o segurado tenha sido contemplado em sorteio.

  • Quem pode ser beneficiário no Seguro de Vida e quantos podem ser escolhidos?

    Qualquer pessoa pode ser definida como beneficiário no Seguro de Vida, ou seja, o segurado pode escolher livremente os seus beneficiários, sem necessidade de haver grau de parentesco. Quem contrata o seguro também pode escolher a porcentagem de participação de cada um deles no capital segurado. Não há limite de quantidade de beneficiários.

    Na ausência de indicação de beneficiários, a indenização será paga conforme estabelecido na legislação vigente, porém sempre aconselhamos que os segurados façam as indicações, pois isso agiliza o processo de pagamento.