Setembro 2021

Relatório de desempenho

Planos atrelados a fundos de investimentos

Confira os relatórios de desempenho

  • ABSOLUTE

    ABSOLUTE ICATU I PREV

    • ABSOLUTE ICATU I PREV - 29.242.441/0001-81

      (Setembro) Em setembro o fundo apurou perdas na posição comprada em bolsa americana. No livro de juros houve ganho no mercado local, com destaque para posições compradas em inflação implícita curta e tomadas em juros nominais. O livro de moedas foi detrator, com destaque negativo para a posição comprada em BRL.

      O fundo está comprado em bolsa americana e, em menor magnitude, em bolsa local. Também em bolsas, há exposição em pares L&S locais. No livro de juros, o fundo tem pequena posição tomada em treasuries e sem nenhuma posição relevante no livro de moedas.

  • ADAM CAPITAL

    ADAM ICATU PREV FIC FIM

    • ADAM ICATU PREV FIC FIM - 25.681.955/0001-82

      (Setembro) Em setembro, o S&P 500 sofreu sua primeira queda desde janeiro, caindo -4.7%. Foi a maior queda mensal desde março do ano passado, quando a pandemia sacudiu os merca− dos financeiros globais. Como pano de fundo no mês, destaques para a apreensão vinda do setor de construção na China com o potencial calote da gigante Evergrande, a sinali− zação de política monetária mais hawkish do FED, e a alta no preço de energia. Na China, a agenda de reformas segue adicionando incerteza à trajetória da economia global, com o governo endereçando o endividamento excessivo e o crescimento desordenado do setor de housing (grande vetor de crescimento no país). Quando as informações vieram a público, os agentes consideraram que um eventual calote da incorporadora chinesa Evergrande poderia impactar sobremaneira o crescimento econômico e a demanda por commodities (como minério de ferro e aço) daquele país. Com isso, no mercado brasileiro, as ações da Vale caíram 15% no mês. No campo de política monetária, o FED sinalizou, após sua reunião mais recente, que a economia estaria quase forte o suficiente para dar início a redução na compra de titulos (tapering) e, eventualmente, aumentar as taxas de juros. Adicionalmente, alguns bancos centrais de países emergentes (e, inclusive, de países desenvolvidos, como o da Noruega) já voltaram a subir as taxas básicas de juros, citando robusta recuperação da atividade e pressões inflacionárias mais persistentes do que anteriormente previstas. Do lado da oferta, algumas commodities sofre− ram com a forte demanda em meio a estoques baixos e pouca produção. O caso mais recente é o do gás natural, que subiu 62% no mês, refletindo a escassez da commodity na Europa. O petróleo, um dos grandes componentes da inflação, valorizou 10% no mês, acumulando alta de mais de 50% no ano. A taxa de juros americana de 10 anos subiu cerca de 20bps no mês, atingindo o maior patamar desde junho, reagindo às pressões de oferta e à comunicação do FED. Com isso, quase todos os setores do S&P (com exceção de ações do setor bancário e de energia) registraram quedas no mês, com destaque negativo para materials (-6.7%) e tech (-6.3%), sendo que algumas empresas, como Facebook (- 10.5%), Alphabet (-7.6%) e Microsoft (-6.6%), tiveram queda ainda mais expressiva. No Brasil, a inflação segue alta e o COPOM de setembro confirmou a alta de 100 pps na taxa SELIC, e já direcionou novo aumento – de mesma magnitude – para a próxima reunião. No comunicado e na ata, o comitê demonstrou confiança na força da atividade econômica e indicou que o seu cenário base vislumbra elevação da taxa de juros para patamar acima do neutro. Dentro do seu “plano de voo”, e diferentemente do ano passado, o BC antecipou a oferta de dólares para suprir a demanda de fim de ano das instituições financeiras. Isso aliado a uma política monetária mais apertada, trazem a real possibilidade de termos uma apreciação da nossa moeda (mas ainda assim competitiva), o que se traduziria num efeito benéfico para a inflação. Seguimos confiantes com as nossas posições: em muitas das nossas teses, a evolução de lucro foi ainda mais substancial do que a evolução nos preços. Somada à melhora das tendências estruturais, a pandemia vem nos dando a oportunidade de aumentar exposição a empresas consolidadas, líderes em mercados de alto crescimento (i.e. e-commerce, cloud, mídias sociais) e com valuations interessantes. Nas posições locais, seguimos céticos com o desempenho da economia, onde a taxa de juros contracionista pesará contra o crescimento da atividade e, por con− seguinte, no desempenho da bolsa. Os fundos seguem alocados em Petro e Vale com posição direcional neutra, assim como aplicados em juros reais via NTN-B.

  • ALASKA ASSET MANAGEMENT

    ALASKA ASSET MANAGEMENT

    • ALASKA 100 ICATU PREV - 34.081.155/0001-11

      (Setembro) O fundo Alaska 100 Icatu Previdenciário FIM obteve um retorno de -4,37%, inferior aos -0,13% do benchmark IMA-B. O fundo, que possui alocação próxima a 100% em ações, teve como destaque positivo as posições em ações do setor de logística, enquanto do lado negativo o destaque foi o setor de mineração.

      Em setembro, as participações no setor de energia aumentaram, enquanto as participações no setor de papel e celulose reduziram. O fundo segue posicionado aproximadamente 100% em ações, sendo as duas posições mais relevantes dos setores de mineração e de papel e celulose.

    • ALASKA 70 ICATU PREV - 29.722.458/0001-36

      (Setembro) O fundo Alaska 70 Icatu Previdenciário FIM obteve um retorno de -2,91%, inferior aos -0,13% do benchmark IMA-B. O fundo, que possui alocação próxima a 70% em ações e o restante em renda fixa, teve como destaque positivo as posições em ações do setor de logística, enquanto do lado negativo o destaque foi o setor de mineração.

      Em setembro, as participações no setor de energia aumentaram, enquanto as participações no setor de papel e celulose reduziram. O fundo segue posicionado aproximadamente 70% em ações, sendo as duas posições mais relevantes dos setores de mineração e de papel e celulose.

  • APEX CAPITAL

    APEX CAPITAL

    • APEX LONG BIASED ICATU PREV FIM 70 - 29.732.909/0001-16

      (Setembro) No mês de Setembro de 2021, o fundo Apex Long Biased Icatu 70 Prev FIM apresentou retorno de -1,84% e o CDI +0,44%. Os destaques positivos em termos absolutos foram em Indústria, Investimento no exterior, Saúde e Siderurgia. Os destaques negativos em termos absolutos foram em Serviços Financeiros, Alimentos e Bebidas, Mineração e Consumo Básico.

      O fundo terminou o mês com uma exposição líquida de 34% e bruta de 109%.

      A exposição bruta setorial do fundo está conforme a seguir: Petróleo, Gás e Bio 11%; Materiais Básicos 9,77%; Bens Industriais 9,31%; Consumo Cíclico 29,19%; Consumo Não Cíclico 8,52%; Saúde 2,44%; Serviços Financeiros 12,594%; Tecnologia da Informação 1,49%; Telecomunicações 0,04%; Utilidade Pública 11,89% e IMA-B 29,86%.

    • APEX LONG BIASED ICATU PREV FIM 49 - 20.814.969/0001-03

      (Setembro) No mês de Setembro de 2021, o fundo Apex Long Biased Icatu Prev 49 apresentou retorno de -1,35% e o CDI +0,44%. Os destaques positivos em termos absolutos foram em Indústria, Investimento no exterior e Saúde. Os destaques negativos em termos absolutos foram em Serviços Financeiros, Alimentos e Bebidas, Mineração e Consumo Básico.

      O fundo terminou o mês com uma exposição líquida de 22% e bruta de 63%.

      A exposição bruta setorial do fundo está conforme a seguir: Petróleo, Gás e Bio 7,34%; Materiais Básicos 6,52%; Bens Industriais 6,27%; Consumo Cíclico 19,48%; Consumo Não Cíclico 5,68%; Saúde 1,63%; Serviços Financeiros 8,39%; Tecnologia da Informação 0,99%; Telecomunicações 0,03%; Utilidade Pública 7,93% e IMA-B 53,060%.

  • ARX INVESTIMENTOS

    ARX INVESTIMENTOS

    • ARX TARGET ICATU PREV FIC FIM - 31.353.579/0001-08

      (Setembro) O fundo teve uma rentabilidade de -0,13% em setembro. A atribuição de performance negativa durante o mês foi explicada principalmente pelas posições compradas em bolsa local, sobretudo por conta do choque no minério de ferro e seus impactos em empresas exportadoras. No mercado de juros locais, as perdas vieram da posição aplicada em juros reais na parte intermediária da curva. Em termos de risco, quando o mercado começou a refletir um cenário mais adverso já nos encontrávamos com posições mais conservadoras, uma vez que um dos pilares da nossa tese de investimento já vinha sendo enfraquecido, baseado em um crescimento mundial robusto puxado principalmente por China e Estados Unidos, favorecendo assim países emergentes como o Brasil.

    • ARX INCOME ICATU PREV FIM - 03.879.361/0001-48

      (Setembro) O fundo teve uma rentabilidade de 1,81% no mês de setembro. Sua carteira é balanceada, com limite de até 49% em renda variável, replicando a estratégia do fundo ARX Income FIC FIA. Apresentaram contribuições positivas as altas de Marfrig, Assaí e Copel, enquanto os maiores impactos negativos foram causados por Americanas, Vale e Vibra, a antiga BR Distribuidora. As maiores exposições do fundo estão nos setores de bancos, varejo, mineração, energia elétrica e petróleo.O restante da carteira é alocado em títulos públicos, balanceados entre LFT e NTN-B.

    • ARX INCOME ICATU PREV 100 FIC FIA - 37.355.672/0001-20

      (Setembro) O fundo teve uma rentabilidade de -3,32% no mês de setembro. Sua carteira replica a estratégia do fundo ARX Income FIC FIA. Apresentaram contribuições positivas as altas de Marfrig, Assaí e Copel, enquanto os maiores impactos negativos foram causados por Americanas, Vale e Vibra, a antiga BR Distribuidora. Em linha com a estratégia de preservação de capital e de diversificação, as maiores exposições do fundo estão nos setores de bancos, varejo, mineração, energia elétrica e petróleo.

    • ARX DENALI ICATU PREV FIC FI RF CP - 31.353.579/0001-08

      (Setembro) O fundo teve uma rentabilidade de 0,63% em setembro. Em linha com os meses anteriores, os portóflios foram beneficiados por esse fechamento generalizado de spreads e performaram acima de seus próprios carregos líquidos. O maior destaque positivo ficou por conta das posições em títulos bancários com remunerações atreladas ao % CDI. Não houve destaques negativos.

  • ATHENA CAPITAL

    ATHENA CAPITAL

    • ATHENA ICATU PREV FIM 70 - 29.045.319/0001-15

      (Setembro) A mudança do governo chinês com relação a alavancagem das incorporadoras do país tende a ocasionar uma queda de demanda estrutural de minério, afetando de forma razoável a dinâmica e economics do setor para a frente. Em nossa opinião o setor de siderurgia é menos afetado por essa mudança, mas sofreu de forma semelhante ao de minério, de forma que realizamos compras de ativos de siderurgia.

      Já levando em consideração os riscos e impactos que os cenários local e global nos traz, temos visto a assimetria dos investimentos melhorar de forma não desprezivel. Além do lado qualitativo microeconomico confortante, o valuation que era “bom” já se tornou “muito bom”. Mesmo empresas que historicamente geram valor em cenários mais desafiadores vêm sofrendo de-ratings expressivos. Posto isso, nosso maior foco de discussão recente tem sido como deveria ser a precificação dos ativos para o cenário que vivemos, e menos no tamanho das oportunidades existentes.

    • ATHENA ICATU PREV FIM 49 - 26.680.218/0001-28

      (Setembro) A mudança do governo chinês com relação a alavancagem das incorporadoras do país tende a ocasionar uma queda de demanda estrutural de minério, afetando de forma razoável a dinâmica e economics do setor para a frente. Em nossa opinião o setor de siderurgia é menos afetado por essa mudança, mas sofreu de forma semelhante ao de minério, de forma que realizamos compras de ativos de siderurgia.
      Já levando em consideração os riscos e impactos que os cenários local e global nos traz, temos visto a assimetria dos investimentos melhorar de forma não desprezivel. Além do lado qualitativo microeconomico confortante, o valuation que era “bom” já se tornou “muito bom”. Mesmo empresas que historicamente geram valor em cenários mais desafiadores vêm sofrendo de-ratings expressivos. Posto isso, nosso maior foco de discussão recente tem sido como deveria ser a precificação dos ativos para o cenário que vivemos, e menos no tamanho das oportunidades existentes.

  • AZ QUEST INVESTIMENTOS

    AZ QUEST INVESTIMENTOS

    • AZ QUEST PREV ICATU CONSERVADOR FIC FI RF CP - 23.883.385/0001-88

      (Setembro) O AZ Quest Icatu Conservador teve um rendimento de +0,63% no mês de setembro, resultado bastante acima da rentabilidade – alvo de longo prazo pensada para o fundo. As diversas estratégias apresentaram bons resultados no mês, com destaque para a carteira de LFSN e debentures CDI.

    • AZ QUEST INFLAÇÃO ATIVO PREV II FIC FI RF

      (Setembro) Em setembro, o fundo apresentou resultado negativo de -1,05%. Ambas as estratégias (juros nominais e juros reais) registraram perdas, acompanhando a alta expressiva de toda a estrutura da curva de juros.Em juros nominais, não carregamos posições direcionais, mantendo a componente tática intensificada. Nos juros reais, permanecemos comprados em NTN-Bs longas (2055).

    • AZ QUEST ICATU MULTI PREV FIC FIM - 18.534.967/0001-19

      (Setembro) Na atribuição de performance do mês, o destaque negativo ficou para as posições compradas nas bolsas locais e internacionais – perdas com o índice Ibovespa, carteira de ações domésticas e com os índices americanos. No mercado de câmbio, o call de desvalorização do Dólar contra uma cesta de “moedas de commodities” foi mantido, porém com exposição reduzida. Dada a valorização da moeda americana, os portfólios acumularam perdas – destaque negativo para o Real. Pelo lado positivo, ganhos com a venda do Euro contra o Dólar. Em juros nominais, não carregamos posições direcionais, mantendo a componente tática intensificada. Nos juros reais, permanecemos comprados em NTN-Bs longas (2055). Ambas as estratégias registraram perdas, acompanhando o movimento de alta de toda a estrutura da curva de juros.

      O cenário pode ser resumido por “incertezas”. Dúvidas sobre inflação, fiscal, crescimento, crise hídrica, ruídos políticos e briga entre os poderes estiveram presentes. No internacional, expectativas quanto à retirada dos estímulos e a evolução da política monetária dos EUA, desaceleração do crescimento global, crise energética em diversos países e o “evento Evergrande” na China pautaram os mercados. A equipe considera que os ativos locais já refletem todas essas incertezas e se descolam da visão mais construtiva de médio e longo prazo. No entanto, dado o elevado nível das incertezas conjunturais, reduzimos as exposições em todas as classes de ativos. Permanecemos com o viés favorável, esperando oportunidades para voltar a posicionar as carteiras, com maior utilização do orçamento de risco

  • BAHIA ASSET MANAGEMENT

    BAHIA ASSET MANAGEMENT

    • Bahia AM PREV Icatu FIC FIM - 39.281.314/0001-45

      (Setembro) Atribuição de Performance e Perspectivas: o fundo teve resultado positivo com ganhos em Renda Fixa e perdas em Bolsa. Em Renda Fixa, os principais ganhos vieram de posições tomadas em juros nos Estados Unidos, compradas em inflação no Brasil e vendidas em EURRUB. As perdas vieram de posições tomadas em juros nominais no Brasil. Em Bolsa, as principais perdas vieram do direcional comprado em Brasil, posições relativas em Bancos, compradas em Saúde e em FAAMGs (Big Techs americanas). Tivemos ganhos, por outro lado, em posições compradas em Consumo Discricionário. O mês chegou ao fim com quedas acentuadas nos mercados globais em meio a preocupações quanto a China, restrições de oferta disseminadas e elevações nas taxas de juros globais. Os ativos brasileiros tiveram desempenhos destacadamente ruins em meio à elevada incerteza política e fiscal. No âmbito fiscal, continua a negociação em torno de um acordo para a resolução da questão dos precatórios. No campo econômico, os dados de inflação seguiram apresentando surpresas altistas, com alto nível de difusão e com os núcleos rodando acima do compatível com o cumprimento da meta.

      Posicionamento Atual: consideramos que a economia global seguirá em expansão, ainda que em ritmo menos acelerado. O ponto de partida positivo dos balanços das empresas e famílias e a recuperação do emprego servirão de impulso ao ciclo econômico. Em Renda Fixa, temos posições tomadas em juros no Brasil e nos Estados Unidos; vendidas em EURRUB, compradas em BRL e vendidas em CHF; compradas em índices de empresas americanas. Em Bolsa, as principais alocações se concentram em posições compradas em Consumo Discricionário, Saúde, e Imobiliário; relativas com exposição líquida comprada em Commodities e Elétrico; e posições relativas com exposição líquida vendida em Bancos, Seguradoras e Telecomunicações.

  • BNP PARIBAS ASSET MANAGEMENT

    BNP PARIBAS ICATU SEG FI RF PREV CP

    • BNP PARIBAS ICATU SEG FI RF PREV CP - 22.809.036/0001-53

      (Setembro) Os ativos brasileiros tiveram um mês difícil, reflexo da tensão política e da inflação; e no externo, uma mudança no discurso do Fed.O banco central americano trouxe projeções inflacionárias mais altas, com núcleos acima da meta até 2024. Além disso, as projeções para trajetória da taxa de juros passaram a ver uma alta já em 2022. Retirada de estímulos nos EUA sempre impacta ativos de risco como os emergentes. No Brasil, a inflação segue se deteriorando e surpreendendo. Tanto o IPCA de agosto como o IPCA-15 de setembro vieram com surpresas relevantes. Nos preocupa a aceleração dos núcleos e índice de dispersão. Isso não fez o BC alterar seu plano de voo, à medida que mantiveram o passo da alta de 100bps (para 6,25%). Sinalizaram mais elevação à frente até um patamar “significativamente contracionista” para assegurar a convergência da inflação.Mantemos a visão de evitar pré-fixado curto e privilegiar NTN-Bs nas carteiras.

  • BOGARI CAPITAL

    BOGARI VALUE ICATU PREV FIM

    • BOGARI VALUE ICATU PREV FIM - 29.722.437/0001-10

      (Setembro) O fundo apresentou desvalorização de 8,11% no mês. A carteira segue composta por empresas com bons fundamentos e com a perspectiva de apresentar bons resultados nos próximos anos. O fundo tem posições concentradas nos setores de Saúde energia elétrica, bancos/serviços financeiros e consumo/varejo.
      No setor de saúde temos posições na Intermédica e Rede Dor .Em energia temos como destaque posições na Equatorial e Eneva. Em bancos/serviços financeiros seguimos com posições em Banco Inter e BTG Pactual. No setor de consumo temos uma exposição relevante em empresas que são mais resilientes ao cenário econômico, como Natura e BR distribuidora.

  • BRASIL PLURAL

    BRASIL PLURAL CRÉDITO CORPORATIVO ICATU PREV CP FIC FIRF

    • BRASIL PLURAL CRÉDITO CORPORATIVO ICATU PREV CP FIC FIRF - 23.263.359/0001-57

      (Setembro) A performance do fundo no mês de setembro foi consideravelmente acima do CDI, porém ficou abaixo da performance do ano e dos últimos 12 meses. Em geral, os spreads de crédito apresentaram fechamento na maioria dos emissores da carteira, porém em menor magnitude que o mês anterior. As LFTs, em linha com o mês passado, tiveram boa performance também. Em relação as emissões primárias distribuídas a mercado, o ritmo forte se manteve, em linha com a nossa expectativa, e com prêmio superior ao mercado secundário. O fundo entrou em uma nova emissão. Continuamos com a visão que o mercado primário deverá seguir aquecido nos próximos meses. Seguimos construtivos com a retomada da economia e com o ritmo do plano de vacinação, porém monitorando possíveis impactos da pandemia no portfólio. Por fim, o nível dos spreads de crédito continua atrativo na nossa visão, principalmente para emissores high grade (baixo risco de crédito), e acreditamos numa compressão à medida que a SELIC for aumentando e os fundos de crédito privado captarem.

  • BUTIÁ INVESTIMENTOS

    BUTIÁ TOP ICATU SEG PREVIDÊNCIA FIRF CP

    • BUTIÁ TOP ICATU SEG PREVIDÊNCIA FIRF CP

      (Setembro) O cenário positivo para a renda fixa tem trazido ajustes para a precificação dos títulos na classe, acarretando o fechamento dos spreads, que haviam se deslocado para cima, sensivelmente, durante os piores meses da pandemia. Acreditamos que a demanda pelo crédito privado vá permanecer aquecida, ao menos até o final deste ano, com empresas buscando o mercado de capitais não só para refinanciamento, mas também para o financiamento de investimentos, principalmente no segmento de infraestrutura. A expectativa é de que o mercado se comporte de forma a defender a manutenção dos preços em níveis de racionalidade, devendo se estabilizar em breve. É primordial a manutenção da diligência seleção de crédito, já que o cenário propõe o alongamento da carteira em busca de um melhor carrego. Este é o nosso compromisso.

      Setembro foi mais um mês de volumes representativos, o mercado primário registrou cerca de R$21 bilhões de emissões em debêntures, ainda que seja 12% inferior ao volume emitido em agosto. No mercado secundário, o volume de negociações é expressivo e crescente, no mês foram transacionados mais de R$23 bilhões. Os spreads de crédito dos ativos indexados ao CDI ainda apresentam níveis atrativos, embora ainda em queda, dada a pressão compradora, oriunda do volume de captação da classe, enquanto daqueles atrelados ao IPCA seguem comprimidos, assim como em agosto, devido ao forte fluxo comprador, que tem distorcido os prêmios no mercado secundário.

      Em setembro, o Butiá TOP Icatu apresentou rentabilidade de +0,54% (121,88% do CDI). Nos últimos 12 meses, o fundo acumula retorno de +4,16% (138,04% do CDI). Ao final do mês, o carrego bruto foi de CDI +1,53% e a duration de 3,29 anos.
      O ativo da AEGEA Saneamento e Participações S.A passou compor a carteira do fundo, com aquisições no mercado secundário. Reduzimos nossa exposição em Águas de Guariroba e Ômega Geração, ativos que já tinham apresentado um importante fechamento em sua taxa ao longo dos últimos meses.

  • CA INDOSUEZ BRAZIL S.A. DTVM

    CA INDOSUEZ ICATU PREV FIRF CP

    • CA INDOSUEZ ICATU PREV FIRF CP - 12.796.193/0001-18

      (Setembro) Mês: 0,51% / 117,30% CDI
      Acumulado 2021: 4,10% / 163,49% CDI
      12 meses: 5,16%/ 172,61% CDI
      O fundo encerrou mais um mês com desempenho muito superior ao CDI, com um retorno nominal de 0,51% (equivalente a 117%/cdi). Os principais contribuidores de performance no mês de setembro foram Light, Copel, Paraná Banco e Grupo Pão de Açucar.A taxa de retorno contratada, liquida de todos os custos (carrego), está em CDI+0,90%. Seguimos alocados, majoritariamente, em Letras Financeiras de Bancos de primeira linha. Permanecemos com o nível de cautela máximo e convictos com os preços nos ativos com vencimentos próximos de 2023, tanto pela ótica de curva de juros quanto do prêmio de crédito.

  • CANVAS CAPITAL

    CANVAS ICATU PREV

    • CANVAS ICATU PREV - 24.405.282/0001-75

      (Setembro) Resultado de -1.35% em setembro. Quanto à performance do Fundo, na parte local houve perdas em bolsa, com posições compradas via índice e em ações específicas As estratégias aplicadas em juros nominais na parte curta da curva e aplicadas em papeis atrelados à inflação na parte longa da curva também apresentaram resultado negativo . Resultado negativo em posição comprada no real

  • CAPITÂNIA

    CAPITÂNIA MULTIPREV ICATU RF CP

    • CAPITÂNIA MULTIPREV ICATU RF CP - 27.239.065/0001-40

      (Setembro) Para quem antecipava algum tipo de refresco no mês de setembro com a carta do Bolsonaro acabou se deparando com complicações globais. Ações caíram 4% no mundo (-4,3% nos Estados Unidos e -3,6% na Europa). Os juros de dez anos dos títulos do Tesouro americano subiram de 1,31% para 1,49% e a inflação implícita de dez anos subiu de 2,34% para 2,38%. Por aqui os juros nominais para 2025 subiram de 9,56% para 10,28%, rompendo a prévia resistência no limiar dos dois dígitos. Os juros reais das NTNBs subiram de 4,67% para 4,97%. O dólar subiu 5,6% contra o real fechando a 5,44 e jogando um balde da água fria na torcida por uma taxa de câmbio menos inflacionária. O Brasil sofre quando os mercados mundiais sofrem, mas não se recupera ao mesmo tempo que eles. O IPCA-15 publicado dia 24 atingiu 1,14% no mês, projetando uma inflação ao consumidor de 10,05% nos últimos 12 meses.

  • CLARITAS INVESTIMENTOS

    CLARITAS INVESTIMENTOS

    • Claritas Icatu PREV FIE FIC FIM - 37.627.900/0001-73

      (Setembro) O mês de setembro interrompeu a sequência de altas nas bolsas, com riscos para à atividade global aumentando frente as mudanças regulatórias na China, riscos financeiros advindos do setor de construção chinês e os choques de oferta. O presidente do FED reconheceu que as condições para retirada dos estímulos foram praticamente alcançadas, e o anúncio virá em breve. No ambiente doméstico, as projeções de inflação seguiram em trajetória negativa, mas o Banco Central preferiu manter o ritmo de alta da taxa de juros em 100 pontos base, sinalizando que elevará os juros ao patamar que for necessário para atingir a meta de inflação no horizonte relevante. Na conjuntura política, vimos um arrefecimento da crise institucional ao longo do mês, mas as preocupações fiscais seguem sem solução, e a ameaça de extensão do Auxílio Emergencial eleva o risco ao arcabouço do teto dos gastos.

      Relatório de posicionamento atual

      Mercado de Juros:
      Posição aplicada em vértices intermediários
      Posição aplicada na parte intermediária da curva de juros reais
      Posição tomada em Treasury de 10 anos

      Mercado de Bolsa:
      Carteira com cases de maior convicção
      Posição defensiva em índice e opções de venda
      Papéis com Beta
      Posição comprada em bolsas internacionais

      Mercado de Moedas:
      Posição em cross de desenvolvidos e contra o dólar americano
      Posições em emergentes

  • CONSTÂNCIA INVESTIMENTOS

    CONSTÂNCIA INVESTIMENTOS

    • CONSTÂNCIA ICATU PREV FIM CP - 33.768.898/0001-00

      (Setembro)

  • CONSTELLATION ASSET MANAGEMENT

    CONSTELLATION ICATU 70 PREV FIM

    • CONSTELLATION ICATU 70 PREV FIM - 30.178.912/0001-19

      (Setembro) O Constellation 70 Prev FIM apresentou uma performance de -5,47% vs -6,57% do Ibovespa em Setembro de 2021. Os setores que mais contribuíram para a performance no mês foram Industriais e Distribuição de combustíveis. Em contrapartida, Consumo, Financeiros e Tecnologia foram os maiores detratores do mês. A Constellation tem um portfólio equilibrado e diversificado, sem alavancagem, líquido, sem concentrações excessivas e focado em empresas de alta qualidade. Essas empresas possuem um balanço sólido, time de gestão competente, barreiras de entrada e vantagens competitivas.

  • EQUITAS INVESTIMENTOS

    EQUITAS INVESTIMENTOS

    • EQUITAS PREV II ICATU FIC FIA - 35.354.896/0001-91

      (Setembro) No mês de setembro, o Equitas Selection apresentou uma performance de -10,2% contra -6,6% do Ibovespa. Com isso, a performance acumulada do fundo desde o início ficou em 502% comparado a 79% do Ibovespa.

      Em setembro, devido à: i) comunicação do FED na direção de que a economia Americana aparenta não precisar de mais estímulos e; ii) sinais de persistência da inflação globalmente, fez com que o juro futuro americano subisse cerca de 2 pontos percentuais durante o mês. Movimento dessa magnitude levou a fortes correções nas bolsas ao redor do mundo: S&P500 -4,8%, Nasdaq -5,7%, índice MSCI de países emergentes -3,9% e MSCI Brasil -9,6% (fazendo do Brasil uma das piores performances do mês).

      Esse aumento dos juros futuros acarretam em um rotation de ações de empresas de alto crescimento para o fator de risco “valor”, o que explica boa parte do nosso descasamento com o Ibovespa. No Brasil, além dos efeitos globais, os ruídos internos seguem impactando preços no mercado (ruído político, discussões acerca do orçamento, risco de racionamento e inflação).

      No entanto, estamos bastante confiantes com as perspectivas de longo prazo das empresas que investimos, pois são empresas sólidas e que vêm apresentando resultados de destaque nos seus segmentos.

  • FINACAP INVESTIMENTOS

    FINACAP ICATU PREV 70 FIM

    • FINACAP ICATU PREV 70 FIM - 33.499.011/0001-17

      (Setembro) O fundo entregou rentabilidade de -4,00% contra -0,13% do IMA-B. Em 12 meses o retorno do fundo é de 13,31% versus 4,71% do IMA-B. Desde o início, a estratégia entrega rentabilidade de 18,34% e o IMA-B 9,62%.

      As principais exposições setoriais são: Petróleo e Gás (10,01%), Bancos (8,39%), Energia Elétrica (8,28%), Mineração (5,23%), Papel e Celulose (4,85%), Telecomunicações (4,49%), Siderurgia e Metalurgia (4,34%), Exploração de Imóveis (3,17%), Transporte (3,15%), Seguradoras (2,22%), Tecnologia (2,20%), Construção Civil (2,15%), Químicos (2,10%) e Material de Transportes (1,50%).

      Dentre as principais contribuições de performance ao fundo estão: : Material de transporte (+0,03%), Siderurgia e metalurgia (-0,10%), Petróleo e Gás (-0,13%), Químicos (-0,21%), Construção civil (-0,23%), Telecomunicações (-0,24%), Exploração de imóveis (-0,29%), Seguradoras (-0,30%), Bancos (-0,37%), Energia elétrica (-0,45%), Mineração (-0,56%), Papel e Celulose (-0,62%) e Tecnologia (-0,73%).

      Setembro foi um mês de queda generalizada para os ativos de risco globais. A principal tônica do mês foi o temor da desaceleração da economia chinesa, alimentada ainda por receios em torno da questão da incorporadora Evergrande e sua incapacidade de honrar as dívidas bilionárias junto a seus credores. As maiores contribuições negativas para desempenho do fundo no mês foras as ações da Positivo, motivada por receios em torno da diminuição do ritmo de venda de eletrônicos e das ações da Vale e Suzano, que acompanharam as fortes correções das commodities no mês.

  • FORPUS CAPITAL

    FORPUS CAPITAL

    • FORPUS 100 ICATU PREV FIC FIA - 38.281.397/0001-00

      (Setembro)

  • FRANKLIN TEMPLETON

    ICATU SEG FRANKLIN TEMPLETON PREV FIM

    • ICATU SEG FRANKLIN TEMPLETON PREV FIM - 21.818.801/0001-39

      (Setembro) Em agosto, o Fundo teve rentabilidade de 0,27%. O Fundo não teve posições relevantes ao longo do mês e a gestão estuda voltar a ter posições compradas em moedas emergentes, inclusive o Real, contra o Dólar americano. A estratégia de NTNBs foi mantida com papéis de vencimentos em 2035, e a posição foi parcialmente hedgeada com uma compra de juros nominais de longo prazo. O fundo encerrou a posição de arbitragem de curva de juros. O Fundo também encerrou a posição comprada em inflação implícita com vencimento em 2023 e 2024 por ter atingido o preço-alvo estipulado. A carteira de Renda Variável teve resultado positivo, e a gestão aumentou a exposição líquida em bolsa brasileira ao diminuir o hedge de índice futuro. A estratégia de Equity Hedge também apresentou resultado positivo, com os principais ganhos no setor de Utilities e Comércio. A carteira de Crédito Privado, com foco em ativos emitidos por fintechs e lastreadas pela originação das mesmas teve resultado positivo no mês.

  • FUNDAMENTA ADMINISTRAÇÃO

    FUNDAMENTA SELEÇÃO PREV FIM

    • FUNDAMENTA SELEÇÃO PREV FIM - 31.248.087/0001-44

      (Setembro) Em setembro o fundo rendeu -0,04% (-8% do CDI), 12 meses 2,58% (120% CDI), 24 meses 5,65% (85% CDI) e desde o início rende 10,23% (99% CDI). Os fundos de ações long only foram destaque negativo no mês e destaques positivos o fundo cambial, macro, crédito e hedge vendido em índice futuro de bolsa.

      A carteira continua bem diversificada entre os melhores fundos de previdência do Brasil sendo 29,3% em fundos Macro, 16,6% Ações Long Only, 16,8% Crédito, 11,1% Equity Hedge, 10,4% Inflação, 5,9% Cambial e 10% Caixa.

      Hedge, -5,8% vendido em índice futuro.

      Mantivemos uma carteira equilibrada e bem diversificada, considerando um cenário pior lá fora com a alta da inflação e juros, e com os riscos locais, fiscal e inflação ainda altos.
      As maiores proteções estão no fundo cambial e na venda de índice futuro de bolsa.

  • GALAPAGOS CAPITAL

    GALAPAGOS CAPITAL

    • GALAPAGOS ICATU DARWIN PREV GLOBAL FICFI MM - 37.279.513/0001-93

      (Setembro) Nossa posição em juros volta a ficar tomados na curva de juro americana de 10 anos. Mantivemos posição em NTN-B 2024 e NTN-B 2028 no Brasil. Em Commodities zeramos nossa posição comprada em cobre e abrimos posição comprada em petróleo. Aumentamos marginalmente a posição comprada em urânio. Nossa posição em moedas em função de um cenário mais desafiador para os mercados emergentes, abrimos posição vendida no peso mexicano e comprada no dólar canadense, no rublo e na krona norueguesa que são moedas com uma pauta de exportação claramente mais relacionadas com petróleo e gás natural. Adicionalmente, dentro das moedas de países emergentes, o rublo se destaca por possuir juro real positivo com seu banco central bem avançado no processo de aperto monetário. Em renda variável mantivemos exposição bem reduzida nas bolsas com um viés para comprar nas quedas da bolsa americana e temos uma pequena posição net vendida no Ibovespa. Nossa estratégia sistemática com a deterioração do mercado local e internacional, as posições vendidas em bolsa permaneceram durante todo o mês, e introduzimos posições compradas em dólar na estratégia. No final do mês os modelos indicaram uma tímida compra em empresas exportadoras, mas a estratégia continua com uma exposição líquida vendida em bolsa. No crédito local os ativos de crédito local, no geral, apreciaram-se em setembro. Impulsionados, principalmente, pelo fluxo de capital positivo para produtos de renda fixa, os spreads de crédito se comprimiram na margem entre 10 e 20 bps ao longo da curva. O momento é oportuno para que as empresas acessem os mercados de capitais captando dívidas de perfil mais longo com custos ainda moderados, apesar das altas já precificadas na curva DI versus pré. Para o crédito internacional os spreads no mercado de crédito internacional de Investment Grade e High Yield US seguem estáveis e próximos às mínimas históricas. Já os spreads de dívidas ligadas à países emergentes estão mais voláteis devido ao choque causado pelo temor de default generalizado no setor imobiliário chinês e os riscos de contágio que prejudicaria o crescimento global. Com o assunto inflação ressurgindo nas últimas semanas, continuamos com exposição em ativos de High Yield US de curta duração por acreditarmos que oferecem um retorno ajustado ao risco interessante.

  • GARDE INVESTIMENTOS

    GARDE ARAMIS ICATU PREV FIC FIM

    • GARDE ARAMIS ICATU PREV FIC FIM - 29.275.210/0001-74

      (Setembro) Em setembro, em relação ao câmbio, operamos com uma posição tática, com viés comprado em Real, que teve resultado neutro. Seguimos com posicionamento tático tendo em vista a volatilidade do câmbio. Nos juros nominais as perdas vieram de posições relativas que se beneficiam de um ciclo menor de alta de juros. O livro de juros reais teve ganhos com a compra de inflação curta em parte neutralizados pela posição aplicada em juros reais no meio da curva. Nos juros nominal, mantivemos posições relativas que visam ganhar valor em um ciclo contínuo do BACEN, e nos juros reais, continuamos carregando uma posição comprada em inflação no curto prazo e uma posição aplicada no meio da curva de juros reais. Em ações, tivemos um aumento das incertezas políticas e ativos com mais beta performando mal. Destaque negativo para Vale que acompanhou a queda do minério e a forte deterioração macro da China. Para o próximo mês, diminuímos o risco e estamos com uma carteira mais defensiva.

  • GAUSS CAPITAL

    GAUSS ICATU PREV FIC FIM

    • GAUSS ICATU PREV FIC FIM - 26.343.792/0001-90

      (Setembro) Em setembro, o Gauss Prev Icatu (“Fundo”) registrou perda de 1,39%. O choque de oferta global tem se intensificado, tornando o fenômeno inflacionário mais persistente que o esperado. As disrupções nas cadeias de abastecimento, escassez de trabalhadores e aumento de restrições ao consumo de carvão na China têm motivado revisões negativas de crescimento global (e altistas de inflação). O Congresso norte-americano ainda não aprovou o aumento do teto da dívida, elevando a probabilidade (ainda remota) de um default em outubro. Além disso, o balanço da última reunião do Fed foi mais hawk ao sinalizar que a redução do ritmo de compras de ativos pode ter início em novembro. Por fim, a Evergrande, uma das maiores incorporadoras chinesas, protagonizou uma crise no setor ao anunciar que não pagaria os cupons vincendos em setembro. No Brasil, o BCB subiu 100bps, ao passo que a inflação seguiu surpreendendo para cima. O fundo registrou perdas em posições compradas na debênture participativa de Vale e compradas em ações brasileiras, não compensadas pelos ganhos em single names offshore, sobretudo no Japão e compradas em dólar.

      Posicionamento: Acreditamos que os choques de oferta serão transitórios e mantemos a carteira posicionada para capturar a aceleração de crescimento com inflação sob controle. Em single names offshore, a exposição em ações ligadas à reabertura no Japão, airlines e hospitalidade nos Estados Unidos segue preponderante. Além disso, adicionamos posições compradas em dólar contra uma cesta de moedas, como a coroa sueca e franco suíço. No mercado local, mantemos posições relevantes compradas na debênture participativa de Vale e em ações selecionadas com hedge no índice.

  • GIANT STEPS CAPITAL

    GIANT STEPS CAPITAL

    • GIANT PREV ICATU I FIE FIC FIM - 35.927.113/0001-11

      (Setembro) Atribuição de Performance: O fundo terminou o mês de setembro com resultado levemente negativo. A estratégia sofreu com as quedas das bolsas ao redor do mundo, perdendo nas posições em equities ao redor do globo e dólar. Boa parte das perdas foram neutralizadas com os ganhos nas posições tomadas em juros e commodities, mas ainda assim o fundo terminou o mês em terreno negativo.

      Posicionamento Atual: O fundo começa outubro com uma redução significativa de risco nas posições em equities e juros. Apesar dessa movimentação, o fundo segue comprado em equities, aplicados nos juros ao redor do mundo, tomado nos juros locais, levemente comprado em dólar e neutro em commodities.

  • HIX CAPITAL

    HIX CAPITAL

    • HIX ICATU PREV LONG ONLY QUALIFICADO FI EM COTAS DE FI MM 100 - 29.800.227/0001-01

      (Setembro) Posicionamento Atual: O cenário internacional ainda é incerto e nos últimos meses destacam-se dois fatores, as taxas de juros foram corrigidas para cima nesse mês, e a sinalização do Comitê de política Monetária (FOMC) sobre a redução da compra de ativos, provavelmente, a partir do mês de novembro. Jerome Powell, presidente do Fed surpreendeu os analistas e indicou que pretende finalizar as compras de ativos no segundo trimestre de 2022.
      No Brasil, a crise energética recai no cenário econômico, dado o baixo resultado nos níveis de reservatórios e crescimento nos riscos de abastecimento.
      Em contrapartida, cremos que as empresas do portfólio da HIX possuem operações bem estruturadas, balanço sólido, time de gestão competente, barreiras de entrada e vantagens competitivas. As maiores posições compradas são: Eneva(10,3%);Light(8,8%);NotreDame(6,2%) e Klabin(6,1%).
      Atribuição de Performance: O fundo, nesse mês de setembro, encerrou com retorno negativo de -6,51%, enquanto o Ibovespa fechou em -6,58%.
      As maiores contribuições de performance do fundo foram Eneva (ENEV) com +0,60%, Vittia (VITT) com +0,22% e BrasilAgro (AGRO) +0,15%, em contrapartida o Grupo SBF (SBFG) contribuiu em -1,05% e Cruzeiro do Sul (CSED) em -0,74%.
      Com relação aos setores, Agribussiness trouxe retornos positivos, com 0,35% principalmente dado o bom desempenho de Vittia e BrasilAgro.
      Seguimos otimistas, principalmente em relação às empresas do nosso portfólio, que possuem um perfil equilibrado, diversificado, sem alavancagem, líquido e sem concentrações excessivas, já que são empresas de alta qualidade.

  • IBIUNA INVESTIMENTOS

    IBIUNA PREV ICATU FIC FIM

    • IBIUNA PREV ICATU FIC FIM - 18.041.877/0001-96

      (Setembro) O livro de juros globais contribuiu de forma relevante neste mês, com destaque para as posições tomadas nas curvas dos Estados Unidos, Chile, Alemanha, Polônia e África do Sul.
      No Brasil, concentramos risco na compra de inflação implícita, posições aplicadas em juros reais e em trades de valor relativo nas curvas de juros real e de implícitas. No mundo desenvolvido, seguimos com viés tomador diante de pressões persistentes de inflação, com posições nos EUA, Inglaterra, Alemanha e Itália. No mundo emergente, reduzimos posições tomadas no México e Chile, mas aumentamos posições tomadas no Leste Europeu e África do Sul. Na renda variável, reduzimos a exposição comprada em índices futuros nos EUA e Europa. Mantemos também exposição a ações brasileiras mirando a captura de alfa puro via posições long-short não direcionais. Em moedas, reduzimos taticamente a posição comprada no Dólar vs. o Real e mantemos posições principalmente em pares cruzados de moedas.

  • ICATU VANGUARDA

    ICATU VANGUARDA

    • ICATU VANGUARDA FIFE FIM PREV - 09.315.634/0001-08

      (Setembro) Em renda variável, encerramos a exposição a bolsa local, ao passo que no mercado externo aproveitamos a realização da bolsa americana para aumentar e concentrar as alocações.
      Em renda fixa, encerramos a posição tomada na ponta curta e reduzimos a posição tomada na ponta longa da curva de juros nominais americana. No Brasil, mantivemos a posição total aplicada da carteira, mas elevamos a parcela aplicada em juros reais frente a juros nominais. As alocações em juros reais também foram encurtadas.
      No mercado de FX, reduzimos 30% a exposição total da carteira. As posições compradas no peso mexicano e vendidas no yen japonês foram reduzidas. Assim, a maior mudança na carteira se deu na ponta passiva, com o dólar voltando a ser a principal divisa de funding da carteira.

    • ICATU VANGUARDA DIVIDENDOS FIA PREVIDENCIÁRIO - 36.617.562/0001-26

      (Setembro) O objetivo do FIA Dividendos é entregar retornos reais e consistentes no longo prazo, com foco na preservação de capital em cenários mais turbulentos. Buscamos superar todos os índices de renda variável do mercado sem nos atrelar a nenhum deles. Nosso processo de construção de portfolio é calcado em alguns pilares que fazem com que busquemos empresas e setores com posicionamento estratégico, corpo gerencial / Management experiente e de alta qualidade, alta governança corporativa, alta geração de caixa e Valuation atrativo. Além disso, temos uma preocupação elevada com diversificação setorial. Como regra, não investimos mais de 30% em nenhum setor, e geralmente nosso portfolio flutua entre 15 e 20 empresas. O fundo rendeu
      -6,64% em junho e fechou o mês com as principais alocações em ITSA4 – Itaúsa (8,06%), VALE3 – Vale (7,22%), e B3SA3 – B3 (6,94%).

    • ICATU VANGUARDA FIC FI RF PLUS PREV - 04.223.291/0001-38

      (Setembro) O fundo tem como objetivo superar o CDI no médio/longo prazo utilizando instrumentos de Renda Fixa. A parcela de crédito privado, focada em operações de baixo risco de crédito, varia entre 0% e 50% do patrimônio líquido do fundo, dependendo da atratividade (risco/retorno) desse mercado no momento. Além disso, a parcela de risco de mercado complementa o portfólio do fundo através de operações nos mercados de juros e inflação quando há alta convicção nas posições, o que minimiza a volatilidade e aumenta as chances de geração de alfa. A volatilidade anualizada média histórica é de, aproximadamente, 0,69% a.a. Neste mês, o fundo performou 0,44%, comparado a 0,44% do CDI.

    • ICATU VANGUARDA FOF FIM CP PREV - 33.520.911/0001-07

      (Setembro) Trata-se de um fundo multi classe e multi gestor com gestão ativa. A gestão ativa é responsável por escolher as melhores oportunidades entre as grandes classes de ativos existentes, decidir os pesos/tamanhos em cada classe (periodicidade trimestral e anual) e decidir os melhores gestores em cada um destes segmentos. Os pesos entre as diferentes classes de ativos assim como os gestores escolhidos variam com o tempo de acordo com parâmetros qualitativos, quantitativos e analises macro econômicas fundamentalistas. Este mês o fundo rendeu -1,59%.

    • ICATU SEG FICFI PRIVILEGE CONSERVADOR RF - 16.557.835/0001-87

      (Setembro) É um fundo de baxíssimo risco/volatilidade, que possui uma pequena parcela de risco de crédito, atualmente está em torno de 20% do PL do fundo. As maiores exposições do fundo são LFT´s e LTN´s. O objetivo do fundo é render em torno do CDI. Neste mês, o fundo performou 0,43%, comparado com 0,44% do CDI.

    • ICATU VANGUARDA MULTIESTRATÉGIA ARROJADO FIC FIM PREV - 03.537.456/0001-83

      (Setembro) Trata-se de um fundo multiestrategia, onde a alocacao entre bolsa, renda fixa e multimercado se ajustam de acordo com a visão do gestor. A alocação em renda variável é feita através da estrategia Dividendos da Icatu Vanguarda e sua alocacao varia entre 40 e 49% do patrimonio do fundo. O restante da alocacao é feita através de veiculos variados de renda fixa (fundos de inflação, fundos de pré, fundos de crédito, fundos de renda fixa ativo) e fundo multimercado macro. O fundo performou -2,51% neste mês.

    • ICATU SEG FOCO MINHA APOSENTADORIA 2020 FIC de FIM - 09.212.371/0001-01

      (Setembro) Fundo cuja exposição dos ativos ao risco depende da Data Alvo do fundo. Quanto mais perto da data final do fundo, a Data Alvo 2020, menor a exposição a ativos de risco, logo o fundo terá uma carteira mais conservadora, prezando pela preservação do patrimônio. Já durante a fase de constituição da reserva, fase inicial e intermediária dos investimentos, haverá maior propensão ao risco, uma vez que, o volume de poupança é menor e há tempo para a maturação dos investimentos. Neste mês, o fundo performou 0,57%, comparado com 0,44% do CDI.

    • ICATU SEG FOCO MINHA APOSENTADORIA 2030 FIC de FIM - 09.212.359/0001-05

      (Setembro) Fundo cuja exposição dos ativos ao risco depende da Data Alvo do fundo. Quanto mais perto da data final do fundo, a Data Alvo 2030, menor a exposição a ativos de risco, logo o fundo terá uma carteira mais conservadora, prezando pela preservação do patrimônio. Já durante a fase de constituição da reserva, fase inicial e intermediária dos investimentos, haverá maior propensão ao risco, uma vez que, o volume de poupança é menor e há tempo para a maturação dos investimentos. Neste mês, o fundo performou -1,17%, comparado com 0,44% do CDI.

    • ICATU SEG FOCO MINHA APOSENTADORIA 2040 FIC de FIM - 09.212.329/0001-90

      (Setembro) Fundo cuja exposição dos ativos ao risco depende da Data Alvo do fundo. Quanto mais perto da data final do fundo, a Data Alvo 2040, menor a exposição a ativos de risco, logo o fundo terá uma carteira mais conservadora, prezando pela preservação do patrimônio. Já durante a fase de constituição da reserva, fase inicial e intermediária dos investimentos, haverá maior propensão ao risco, uma vez que, o volume de poupança é menor e há tempo para a maturação dos investimentos. Neste mês, o fundo performou -3,15%, comparado com 0,44% do CDI.

    • ICATU VANGUARDA MINHA APOSENTADORIA 2050 FIC FIM - 35.636.610/0001-60

      (Setembro) Fundo cuja exposição dos ativos ao risco depende da Data Alvo do fundo. Quanto mais perto da data final do fundo, a Data Alvo 2050, menor a exposição a ativos de risco, logo o fundo terá uma carteira mais conservadora, prezando pela preservação do patrimônio. Já durante a fase de constituição da reserva, fase inicial e intermediária dos investimentos, haverá maior propensão ao risco, uma vez que, o volume de poupança é menor e há tempo para a maturação dos investimentos. Neste mês, o fundo performou -4,73%, comparado com 0,44% do CDI.

    • ICATU SEG PRIVILEGE RF FIC FI - 09.321.515/0001-68

      (Setembro) Fundo que possui risco de mercado e risco de crédito. Ou seja, através de operações de juros e inflação e uma carteira de cerca de 30% do PL em crédito privado, buscamos performar acima do CDI. Objetivo do fundo é superar o CDI no médio e longo prazo,. A volatilidade média do fundo gira em torno de 0,43%. Vale lembrar que, apesar do longo histórico do fundo, este teve seu mandato de risco alterado em Janeiro/2016. Neste mês, o fundo performou 0,47%, comparado com 0,44% do CDI.

    • ICATU VANGUARDA FIC FI RF INFLAÇÃO LONGA PREV - 04.228.716/0001-00

      (Setembro) Fundo beta que investe em NTNB’s, porém com vencimentos mais longos. Trata-se de um fundo para investidores que desejam “perpetuar” a taxa de juros real do Brasil. Como o prazo médio “duration” da carteira é bastante elevada, (atualmente gira em torno de 13 anos), o fundo possui uma volatilidade elevada devido a marcação a mercado dos títulos e o alto prazo de vencimento dos títulos. Logo, o horizonte de retorno deste fundo deverá ser de longo prazo. Se você acredita que no futuro de médio/longo prazo o Brasil irá operar com juros reais em níveis mais baixos (parecido com juros praticados por países que se equiparam a nós, como outros da América Latina), este será o produto/ativo que se beneficiará em muito na concretização deste movimento. O fundo é elegível a receber crédito privado indexado a IPCA exclusivamente. O fundo Icatu Vanguarda FIC FI Inflação Longa fechou o mês com uma duration de 11,89 anos e yield médio 4,99%.

    • ICATU VANGUARDA FIC FI RF INFLAÇÃO CURTA PREV - 12.823.627/0001-21

      (Setembro) Fundo beta destinado para investidores que desejam se proteger da inflação e garantir retornos reais em janelas de curto e médio prazo, gostamos de fundos com prazo médio “duration” mais curtas indexados a índices de preço. O fundo investe majoritariamente em NTN-B’s (Título Público indexado ao IPCA e emitido pelo Tesouro), com vencimentos curtos ( de até 5 anos). Pelo fato do fundo ter um prazo médio que oscila normalmente entre 1,7 e 2,5 anos, sua volatilidade não é tão elevada, e caso você ache que teremos inflação alta no Brasil, é uma excelente alternativa aos fundos de renda fixa CDI tradicionais para se proteger neste cenário e garantir retornos reais em janelas mais curtas. O fundo é elegível a receber crédito privado indexado a IPCA exclusivamente. O fundo Icatu Vanguarda FIC FI Inflação Curta Previdenciário fechou o mês com uma duration de 2,33 anos e yield médio 3,91%.

    • ICATU VANGUARDA ABSOLUTO FIRF CP PREV - 21.494.444/0001-09

      (Setembro) Fundo que possui apenas risco de crédito privado. A Icatu Vanguarda trabalha com uma análise criteriosa de risco, de forma que selecionamos apenas ativos de primeira linha / high grade. Ou seja: não trabalhamos com ativos de crédito privado high yield. A carteira do fundo tem como objetivo investir aproximadamente 80% em ativos de crédito privado e é composta basicamente por CDB’s, Debêntures e FIDC’s. Seu objetivo de retorno é 102% do CDI no médio e longo prazo. Nossa carteira de crédito encerrou o mês com, aproximadamente, 79,8% do patrimônio líquido investidos em crédito privado em 15 diferentes setores e 115 emissores. A carteira investida em crédito possui atualmente 55,2% do PL em debêntures, 11,4% em letras financeiras, 11,5% em FIDC’s, 0,6% em notas promissórias, 1,2% em DPGE e 20,2% em caixa. O yield médio do fundo é de CDI + 1,51% com uma duration de 2,14 anos.

  • INDIE CAPITAL

    INDIE ICATU PREV FIM

    • INDIE 49 ICATU PREV FIM - 29.732.967/0001-40

      (Setembro) No mês de setembro, o Indie FIC FIA teve rentabilidade de -5,4%, contra -6,6% do Ibovespa. A performance do setor de energia foi o destaque positivo, enquanto os setores de saúde, serviços financeiros, consumo e homebuilders foram os destaques negativos. No ano, o resultado acumulado é de -8,4%, frente -6,75% do Ibovespa.
      No setor de energia, Petrorio foi a principal contribuição positiva do mês. Além boa performance do preço do petróleo e da desvalorização do real, a empresa tem sido muito ativa em novas oportunidade de M&A ao longo do ano.

      No setor de saúde, a principal contribuição negativa foi Intermédica. A volatilidade do preço do ativo coincide com a investigação do suposto incentivo ao uso do chamado “kit covid” pelos médicos da Hapvida, além do overhang da possível venda de posição da Bain Capital.
      Por fim, a Tenda continua a enfrentar a escalada dos preços de materiais de construção. É cada vez mais desafiador para o setor manter em 2021 o patamar de margens de 2020, embora a Tenda, como a lowest cost provider do setor, tenha plena capacidade de repassar o aumento de custos para seus novos lançamentos. Tal cenário tem refletido na performance negativa da ação no curto prazo.
      No que tange às movimentações na carteira, montamos posição no intermediário logístico Sequoia. Acompanhamos a empresa desde seu IPO no segundo semestre do ano passado. Entramos na tese no momento em que construímos maior confiança no potencial de execução de seu plano de expansão ambicioso, além do bom ritmo de alocação de capital e do melhor preço de entrada.
      Nossa carteira continua concentrada nas teses de crescimento acelerado e acreditamos que a combinação de modelo de negócios com diferenciais claros e excelentes executivos possibilitam essas empresas a capturar boas oportunidades de geração de valor mesmo em cenários mais adversos.

    • INDIE 100 ICATU PREV FIM - 35.844.884/0001-45

      (Setembro) No mês de setembro, o Indie FIC FIA teve rentabilidade de -5,4%, contra -6,6% do Ibovespa. A performance do setor de energia foi o destaque positivo, enquanto os setores de saúde, serviços financeiros, consumo e homebuilders foram os destaques negativos. No ano, o resultado acumulado é de -8,4%, frente -6,75% do Ibovespa.
      No setor de energia, Petrorio foi a principal contribuição positiva do mês. Além boa performance do preço do petróleo e da desvalorização do real, a empresa tem sido muito ativa em novas oportunidade de M&A ao longo do ano.

      No setor de saúde, a principal contribuição negativa foi Intermédica. A volatilidade do preço do ativo coincide com a investigação do suposto incentivo ao uso do chamado “kit covid” pelos médicos da Hapvida, além do overhang da possível venda de posição da Bain Capital.
      Por fim, a Tenda continua a enfrentar a escalada dos preços de materiais de construção. É cada vez mais desafiador para o setor manter em 2021 o patamar de margens de 2020, embora a Tenda, como a lowest cost provider do setor, tenha plena capacidade de repassar o aumento de custos para seus novos lançamentos. Tal cenário tem refletido na performance negativa da ação no curto prazo.
      No que tange às movimentações na carteira, montamos posição no intermediário logístico Sequoia. Acompanhamos a empresa desde seu IPO no segundo semestre do ano passado. Entramos na tese no momento em que construímos maior confiança no potencial de execução de seu plano de expansão ambicioso, além do bom ritmo de alocação de capital e do melhor preço de entrada.
      Nossa carteira continua concentrada nas teses de crescimento acelerado e acreditamos que a combinação de modelo de negócios com diferenciais claros e excelentes executivos possibilitam essas empresas a capturar boas oportunidades de geração de valor mesmo em cenários mais adversos.

  • INTEGRAL INVESTIMENTOS

    INTEGRAL ICATU PREV FIRF CP

    • INTEGRAL ICATU PREV FIRF CP - 33.588.888/0001-84

      (Setembro) O fundo Integral Icatu Previdenciário fechou o mês com retorno de 0,56% ou o equivalente a spread anualizado de 1,38% sobre o CDI do período. Nos últimos 12 meses, o fundo alcançou retorno de 5,86%, ou CDI + 2,7%.
      Os fundos de crédito privado seguiram apresentando captação líquida positiva em setembro, captando mais de R$4,0 bilhões em uma amostra de fundos acompanhada pela Integral Investimentos. No ano essa captação é mais fraca somente que a observada em agosto. Nesse universo ainda continuamos observando uma tendência de captação líquida negativa nos fundos de debêntures incentivadas. A demanda por ativos de crédito privado se manteve alta dada a liquidez da indústria de fundos e vimos mais um mês de fechamento dos spreads de crédito dos papéis. Quando olhamos para papéis indexados ao IPCA, vemos aberturas de taxas devido ao stress na curva de juros que impactou os títulos públicos indexados à inflação. Apesar disso na média ainda vimos retorno positivo desses papéis devido ao forte carrego proporcionado pela indexação ao índice de inflação.
      O mercado primário de debêntures segue aquecido. Em setembro foi captado mais de R$ 18 bilhões em 59 emissões,. No Integral Icatu Previdenciário nós participamos de 3 emissões, adquirindo papéis emitidos pelas construtoras Trisul, Emccamp e Tenda.
      A maior contribuição para o retorno mensal veio da parcela de debêntures, com contribuição de 0,44% ao retorno mensal do fundo. Destaque para emissões que compramos no mercado primário, as quais devem esperar por 3 meses a partir da data de emissão para poderem ser negociadas no mercado secundário. Como nos últimos meses o fechamento de spread dos papéis foi contínuo, essas debêntures no período de lock-up seguraram o retorno extra da marcação e agora começam a dar resultado ao fundo. Entre essas debêntures destacamos o bom desempenho no mês de papéis emitidos recentemente pela Unidas e Intervias. Destaque também para a carteira de CRIs que ajudou a elevar o carrego do fundo dada a indexação ao IPCA. Apesar do bom desempenho dos ativos, o retorno do fundo foi afetado devido a cobrança de uma despesa extraordinária.

  • INTER ASSET

    INTER ASSET

    • INTER CONSERVADOR ICATU SEG PREVIDÊNCIA FIM CRED PRIV - 25.098.148/0001-31

      (Setembro)
      O fundo segue uma estratégia de investimentos em ativos de crédito privado desde a alteração de seu regulamento, no início de 2018.
      No terreno positivo, a carteira de debêntures continuou performando bem com retorno de 0,28% (189% CDI) e seguimos vendo um cenário positivo para o fechamento dos spreads nos próximos meses.
      Seguimos bastante confortáveis com a qualidade de crédito da carteira como um todo e destacamos o carrego dos ativos de crédito (DI + 2,07%) que se encontra em níveis altos historicamente, criando boas perspectivas para o cenário à frente.
      Mantemos a alocação em ativos de alta qualidade de crédito, com foco no retorno de longo prazo. A duration da carteira de crédito é de 3,5 anos e 97% da sua carteira de crédito é composta por ativos AA e AAA.

    • INTER SELECTION ARROJADO ICATU FIM PREV CP - 36.620.025/0001-35

      (Setembro) O fundo investe em fundos de Renda Fixa, Multimercado, Macro, Quantitativo e Ações e tem objetivo de otimizar a relação retorno/risco da carteira, proporcionando a seu investidor segurança, diversificação e rentabilidade no longo prazo.
      A performance do fundo em Setembro foi negativamente impactada pelos fundos de ações, que seguiram a queda abrupta do Ibovespa de -6,57%. Os principais detratores foram os fundos da Bogari Value, Brasil Capital e Athenas. Como destaque positivo, os fundos da classe Macro conseguiram ter retornos positivos. Seguimos alocados majoritariamente nas classes de fundos Macro, Ação e Juros.

    • INTER SELECTION TOP PREV FIM CP - 32.811.956/0001-60

      (Setembro) Fundo de fundos que busca oferecer a seus cotistas uma solução única para uma carteira de previdência diversificada, rentável e de perfil moderado/balanceado. A performance do fundo em Setembro foi negativamente impactada pelos fundos de ações, que seguiram a queda abrupta do Ibovespa de -6,57%. Os principais detratores foram os fundos da Bogari Value, Brasil Capital e Athenas. Como destaque positivo, os fundos da classe Macro conseguiram ter retornos positivos. Seguimos alocados majoritariamente nas classes de fundos Macro, Ação e Juros.

  • JGP

    JGP

    • JGP PREV MULTIMERCADO ICATU SEGUROS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FI - 38.015.773/0001-14

      (Setembro) O mês de setembro foi de maior volatilidade nos mercados financeiros globais, contrariando o padrão recente de variações suaves e tendência positiva. Os problemas da construtora chinesa Evergrande atingiram o noticiário global. Nos EUA, a proximidade do início do chamado “tapering”, que é a redução do ritmo de compra de ativos por parte do Federal Reserve (Fed) também tem trazido alguma preocupação. Além disso, os problemas de oferta de peças e componentes, principalmente em alguns segmentos como semicondutores, continuam a afetar a indústria. Isso traz preocupações para a inflação, que se encontra elevada em vários países.

      No Brasil, os ativos financeiros, que já vinham sofrendo há algum tempo, tiveram mais um mês de desempenho ruim. Além dos ventos contrários vindos do exterior, houve, no Brasil, acirramento das preocupações com o lado fiscal da economia. Em razão de todas essas dificuldades, e na incerteza sobre a existência de uma âncora fiscal confiável no futuro, os ativos financeiros vêm sofrendo perdas e se descolando, para pior, do mercado global.

      Mantemos posições aplicadas em DIs curtos, compradas em NTN-Bs longas e tomadas em juros longos americanos. A exposição líquida em renda variável encontra-se um pouco acima do nível que consideramos neutra e conta com compra de ações brasileiras e americanas. Enxergamos um ambiente externo não mais tão favorável quanto no início do semestre e entendemos que os riscos fiscais e políticos locais não são condizentes, no momento, com posições relevantes na carteira. Desta forma, operaremos como de costume nos nossos fundos, buscando oportunidades nos diferentes mercados e nos protegendo quando percebermos assimetrias de risco desfavoráveis.

    • JGP AÇÕES ESG 100 PREV ICATU SEGUROS FI EM COTAS DE FIA - 35.807.793/0001-30

      (Setembro) Seguindo o comportamento visto nos últimos meses, a cada momento por motivos diferentes, o humor na bolsa brasileira continua piorando. Após o ruído causado pelas manifestações de 7 de setembro, houve um período de preocupação com o impacto da quebra da Evergrande, grande incorporadora chinesa que está em sérias dificuldades. Por mais que o evento em si possa ser contido, a preocupação se espalhou para o setor imobiliário como um todo, cuja representatividade no PIB e na poupança dos chineses é significativa. Vale notar que esse foi mais um importante capítulo no tema de desaceleração econômica da China, que já tínhamos comentado anteriormente em outros relatórios da JGP.

      Adicionalmente, ao longo do mês, as preocupações com inflação no Brasil e no mundo continuaram crescendo. O choque de oferta com a ruptura da cadeia produtiva causada pelo Covid, somada à rápida retomada da demanda, continua gerando forte impacto nos preços, sem uma previsão crível de normalização. Além disso, os crescentes esforços no mundo visando a uma a transição energética, impõem, no curto prazo, maior demanda por certas commodities, que resultam em um cenário ainda mais preocupante de inflação, o que tem pressionado as curvas de juros. As restrições de oferta e aumento de preços, inevitavelmente, vão causar impactos no crescimento, uma combinação muito negativa para os ativos de risco.

      No lado micro no Brasil, nossa visão não mudou. Continuamos vendo diversas empresas de qualidade com retornos atrativos, mas, sem dúvidas, a piora do cenário no Brasil e no mundo tem nos deixado bastante preocupado. Por enquanto não fizemos ajustes relevantes na carteira.

  • KADIMA ASSET MANAGEMENT

    ICATU KADIMA FIE PREV FIC FIM CP

    • ICATU KADIMA FIE PREV FIC FIM CP - 15.862.867/0001-23

      (Setembro) O Icatu Kadima acumula uma rentabilidade desde o início de +148,80% (149% do CDI). Nos últimos 12 meses, o fundo acumulou uma rentabilidade de +11,16% (374% do CDI). No ano, o fundo acumula uma rentabilidade de +9,75% (390% do CDI).

      Seguindo o bom desempenho apresentado nos últimos meses, o principal destaque positivo ao longo do mês de setembro foram os modelos seguidores de tendência de curto e longo prazos aplicados no mercado de juros, que mais uma vez conseguiram capturar o movimento de abertura da curva de juros ocorrida no período. No entanto, parte destes resultados foram consumidos pelos desempenhos negativos apresentados pelos modelos seguidores de tendência de curto prazo aplicados no índice Bovespa e no dólar, e pelo modelo de fatores aplicado nas ações brasileiras.

      A maior alocação de risco do fundo segue nos modelos seguidores de tendência de curto prazo, obedecendo às restrições da legislação de previdência.

  • KAIRÓS CAPITAL

    KAIRÓS CAPITAL

    • KAIRÓS MACRO ICATU PREVIDÊNCIA FIE I FIM - 39.768.903/0001-52

      (Setembro) Atribuição de Performance e Perspectivas: O mês de setembro foi de aversão ao risco. As dificuldades do setor imobiliário chinês com o processo de desalavancagem determinado pelo governo, levaram à um temor maior de desaceleração da atividade econômica global. O forte desbalanceamento entre demanda e oferta de bens e eletricidade, vem gerando uma forte pressão nos preços de gás natural, carvão e petróleo, empurrando a inflação para cima globalmente. Além disso as dificuldades nos EUA para resolver a questão do limite de dívida pública, e o iminente início do processo de “tapering” por parte do FED conturbaram ainda mais o ambiente e desencadearam uma correção nas bolsas, queda nas commodities metálicas, alta na curva de juros e um fortalecimento do dólar americano. No Brasil, as pressões inflacionárias e as dificuldades de fechar o orçamento de 2022 viabilizando um aumento no Bolsa Família, somaram-se ao ambiente global e levaram à queda forte da bolsa e a uma forte piora dos juros com abertura de mais de 70 bp ao longo da curva. Atribuição de performance do mês foi: juros (+0,62%), renda fixa (+0,49%), moedas (+0,30%), commodities (+0,06%), ações (-0,73%), e despesas de (-0,16%).

      Posicionamento: Apesar do risco do fundo estar abaixo do alvo em função do risco de desaceleração mais forte da economia chinesa e possível contaminação no resto dos mercados, seguimos vendo um ambiente global estimulativo com juros reais negativos no mundo desenvolvido ainda por bastante tempo, favorecendo os ativos de risco. No Brasil, a antecipação da disputa eleitoral não estimula a disciplina fiscal e a alta sensibilidade tanto à curva de juros americana quanto a atividade econômica chinesa, levam o país a ter mais dificuldade de acompanhar qualquer recuperação global nos ativos de risco. Assim mantemos a maior parte do risco alocado em ativos externos. Mantemos posições em bolsas de países desenvolvidos, em commodities e em curva de juros americana. No Brasil temos posições defensivas que se apropriam do aumento do risco fiscal e deterioração das expectativas de crescimento do PIB.

  • KINEA

    KINEA

    • KINEA PREV XTR II PLANOS ICATU FIC FIM - 34.143.959/0001-06

      (Setembro) Os fundos multimercados da Kinea apresentaram um ótimo resultado no mês de Setembro/21, com resultados positivos em todos os books. O destaque foi para renda fixa internacional, no qual seguimos posicionados para aumento da curva de juros dos EUA e Reino Unido. No Brasil, a curva de juros segue apresentando altas, devido a dúvidas fiscais com os precatórios e pressões para a prorrogação do auxílio emergencial e inflação. Acreditamos que as pressões inflacionárias são temporárias e devem diminuir em 22, e que haverá uma solução para os precatórios dentro do teto de gastos. Nos books de ações, continuamos a considerar que o mercado de ações, tendo antecipado a forte recuperação econômica, deve consolidar conforme o excesso de liquidez passa a ser retirado do mercado. Em commodities, acreditamos que os investimentos globais em energia não são suficientes para cobrir a demanda futura e que o consequente controle da OPEP sobre o preço do petróleo deve levar a um aumento de preços no complexo de energia. Evitamos exposição a metais relacionados ao setor de construção da China. Renda Fixa: Seguimos com risco direcional reduzido. No internacional, seguimos posicionados para aumento da curva de juros dos EUA e, em menor escala, Reino Unido. Ações: No Brasil, seguimos posicionados em empresas de qualidade com crescimento estrutural e estamos com 48 pares de ações. No internacional, temos posições vendidas no índice americano e de mercados emergentes e compradas em energia, bancos e reabertura/lazer. Commodities: Temos posições compradas em petróleo e créditos de carbono e vendida no cobre e no minério de ferro. Moedas: Estamos comprados nas moedas dos países que estão adiantados no ciclo de normalização dos juros e vendidos em países mais atrasados no ciclo econômico. Cupom cambial: Seguimos apostando no aumento das taxas longas em relação a Libor.

  • LEBLON EQUITIES

    LEBLON EQUITIES

    • LEBLON 100 ICATU PREV - 35.314.803/0001-03

      (Setembro) Em setembro, o fundo teve um retorno de -8,3% contra -6,5% do Ibovespa.
      As principais contribuições positivas foram BRF (+0,7 p.p), PetroRecôncavo (+0,3 p.p.) e Santos Brasil (+0,1 p.p.). Os detratores foram Via (-1,0 p.p), Bemobi (-0,7 p.p), e Mills (-0,7 p.p).

      Desde o início, em março de 2020, o fundo acumula retorno de 36,8%.

      No mês, adicionamos Vamos; diminuímos Santos Brasil e zeramos Intelbrás, Rumo e WDC.

    • LEBLON ICATU PREV FIM - 11.098.129/0001-09

      (Setembro) Em setembro, o fundo teve um retorno de -4,0% contra -6,5% do Ibovespa.
      As principais contribuições positivas foram BRF (+0,4 p.p) e PetroRecôncavo (+0,2 p.p.). Os detratores foram Via (-0,5 p.p), Bemobi (-0,4 p.p), e Mills (-0,4 p.p).

      Desde o início, em dezembro de 2009, o fundo acumula retorno de 160,6%, o que equivale a um retorno anualizado de 8,5%. Nos últimos 3 e 5 anos, apresenta retornos anualizados de 10,9% e 13,6% respectivamente.

      No mês, adicionamos Vamos; diminuímos Santos Brasil e zeramos Intelbras, Rumo e WDC.

  • LEGACY CAPITAL

    LEGACY CAPITAL PREVIDENCIÁRIO ICATU FIC FIM

    • LEGACY CAPITAL PREVIDENCIÁRIO ICATU FIC FIM - 37.367.841/0001-41

      (Setembro) A posição simultaneamente vendida em bolsa local e USDBRL; a posição tomada em TSY e em juros de países emergentes, as posições no mercado de commodities, e de crédito local contribuíram positivamente para o resultado de setembro. Já as posições em ações e juros locais contribuíram negativamente para o resultado.
      No Brasil, o ambiente permanece envolvido por incertezas. A continuada elevação da inflação fragiliza o governo e dificulta ainda mais o já reduzido grau de convergência entre os interesses dos poderes executivo e legislativo. A velocidade na tramitação da reforma do imposto de renda, o equacionamento do pagamento dos precatórios e a magnitude do programa de renda mínima em 2022 permanecem com o desfecho incerto, e a prorrogação do auxílio emergencial para além de 2021 não pode ser descartada. Por outro lado, a maior incidência de chuvas em setembro e a entrada em operação de mais fontes de oferta de energia reduziu sensivelmente a probabilidade de racionamento de demanda por eletricidade.

      Posicionamento Atual
      O cenário global tornou-se mais complexo. Há a superposição de uma componente mais intensa de inflação global, e de contração de um setor importante, sobre um substrato que ainda se caracteriza por crescimento relativamente robusto. Neste contexto mais difícil, mantemos exposição a um portfolio de ações globais diversificado setorial e geograficamente. Mantemos ainda posição tomada em TSY e estabelecemos, adicionalmente, posições tomadas nas curvas de juros do México e da África do Sul, e comprada em petróleo, diante da expectativa de continuidade dos efeitos da crise de energia.
      No Brasil, em face das incertezas expostas, seguimos mantendo posições direcionais reduzidas, e mantendo a posição duplamente vendida em bolsa e USD, discutida nas últimas cartas.

  • MAUÁ CAPITAL

    MAUÁ PREV ICATU FIM

    • MAUÁ PREV ICATU FIM - 29.045.219/0001- 99

      (Setembro)

  • MILES CAPITAL

    MILES CAPITAL

    • MILES VIRTUS ICATU PREV QUALIFICADO FIC FIA - 32.227.268/0001-57

      (Setembro) O mês de setembro foi marcado por um exterior negativo com inflação alta, crise energética mundial, preocupações com o teto da dívida americana e com a economia chinesa. O Ibovespa teve sua pior performance mensal desde março de 2020.
      O excesso de demanda de trabalhadores no mercado de trabalho, que pressiona o payroll americano, deve continuar contendo as taxas de juros por enquanto. Mas, se antes o Fed estava “falando sobre falar de tapering”, agora está de fato falando sobre tapering, que acredita-se que seja formalizado até o final do ano. Uma política econômica mais restritiva nos EUA deve contribuir para esfriar a economia e inflação mundial. O mundo sofreu mais um choque inflacionário devido ao aumento dos preços das matrizes energéticas, que provocou um efeito em cascata, não restrito às economias emergentes exportadoras.
      No Miles Virtus Prev, os setores que se destacaram foram de óleo/gás (PRIO3), bens industriais (INTB3), siderurgia/metalurgia (CBAV3). Outros destaques: ASAI3, SBSP3 e ENEV3. Os piores setores foram de tecnologia (NINJ3), (TOTS3), bancos (BIDI11), papel/celulose (SUZB3) e consumo/varejo (PETZ3). Outros destaques negativos: AMBP3 e JHSF3. As principais posições do fundo estão em INTB3, ITUB4, TOTS3, SBSP3 e EMBR3.

  • MÓDULO CAPITAL

    MÓDULO ICATU PREV FIM

    • MÓDULO ICATU PREV FIM - 30.507.620/0001-82

      (Setembro) O fundo fechou o mês com -4,9% de performance. os setores que mais afetaram o resultado do fundo foram Consumo e Varejo (Alpargatas e Via Varejo) e Commodities (Vale e Gerdau). o Ibovespa acompanhou o movimento de queda das principais bolsas mundiais como resultado da deterioração das expectativas de crescimento da China, elevação dos juros longos nos EUA e a piora do cenário inflacionário e das incertezas fiscais no Brasil. Com uma desvalorização de 6,6% no mês, o Ibovespa apresentou a pior queda desde o auge da pandemia, em março de 2020.
      No campo fiscal permanecem as incertezas com relação ao equacionamento dos precatórios, o andamento das reformas tributária e administrativa que têm enfrentado resistência na sua tramitação nas casas legislativas. No front externo, as atenções estão no FED e na política monetária dos EUA e os impactos da crise do conglomerado de construção civil chines, Evergrande, na economia chinesa e mundial .

  • NAVI CAPITAL

    NAVI LONG SHORT ICATU PREV FIM

    • NAVI LONG SHORT ICATU PREV FIM - 27.328.750/0001-43

      (Setembro) Em setembro, as principais contribuições positivas vieram dos setores de Siderurgia e Utilities. O primeiro se beneficiou pela resiliência do preço do aço, mesmo com crescimento desafiador na China e um desaquecimento da demanda no Brasil. Já o último foi favorecido pelo aumento do preço de petróleo, avanço do processo de privatização e menor chance de racionamento de energia. Do lado negativo, a principal contribuição veio do setor de Energia, que sofreu com uma MP do Etanol e enfraquecimento econômico. Os fundos que contam com proteção se beneficiaram do hedge, dada a queda da bolsa pelo terceiro mês seguido, influenciada por fatores globais. Na China, a Evergrande alertou os investidores acerca da saúde financeira de um dos setores mais relevantes da economia asiática, causando dúvidas sobre possíveis novos acontecimentos. No resto do mundo, sinais de restrição de oferta ficaram mais evidentes nas principais economias, com destaque para o setor de energia. Assim, um cenário com menor crescimento e maior inflação se torna mais factível. No Brasil, o pagamento dos Precatórios caminha para ser solucionado, mas ainda segue a discussão de espaço fiscal para um novo programa social.

  • OCCAM BRASIL GESTÃO DE RECURSO

    OCCAM PREV FIC FIM

    • OCCAM PREV FIC FIM - 17.685.620/0001-04

      (Setembro) O mês de setembro foi marcado pelo aumento significativo dos preços dos combustíveis fósseis. A crise energética teve impacto direto na curva de juros dos principais países e com ênfase ainda maior sobre os países emergentes. Expandimos nosso portfólio internacional através de posições tomadas em juros nos países desenvolvidos e emergentes. O Ibovespa caiu 6,6% no mês seguindo os mercados externos. S&P e Nasdaq apresentaram quedas de 4,8% e 5,8% respectivamente, fruto da potencialização de diversos riscos globais. Esses vetores nos levaram a redução relevante de algumas posições externas. Trocamos alguns papéis de maior crescimento por temas como energia e financeiro. Mantivemos a estratégia do mês anterior, posicionados em empresas resilientes e mais protegidas da deterioração macroeconômica, e vendidos em empresas de baixa qualidade, que terão mais dificuldades para superar o ambiente incerto a frente e estão em múltiplos elevados.

  • ONE PARTNERS

    ATLAS ONE ICATU 70 PREV FIM

    • ATLAS ONE ICATU 70 PREV FIM - 33.520.932/0001-14

      (Setembro) O fundo Atlas One 70 Prev FIM apresentou desempenho de -6,24%, entregando no ano uma rentabiliddade de -4,62%. Em setembro, o desinvestimento do setor de Siderurgia & Mineração foi um importante contribuidor de performance relativa, dado que o mesmo foi severamente afetado pela desaceleração da China, e a queda nos preços de minério de ferro. No entanto, a maior exposição em varejo e bens de consumo causou importantes perdas para o portfólio no mês, explicando o desempenho abaixo do benchmark. Do lado macro, a alta de juros na curva DI tem provocado uma revisão significativa da projeção de crescimento para 2022. Pesquisa FOCUS indica um crescimento do PIB de 1,57% para 2022 em comparação com 2,00% há apenas um mês e o cenário de cauda de uma recessão ganhou peso com os riscos de racionamento e conjuntura global mais desafiadora. Somado a isso, o cenário de inflação persistente e queda nos indicadores de confiança também contribuíram para uma forte queda das ações desses setores – varejo e bens de consumo.O GERA do fundo (retorno esperado) encontra-se em 21% a.a., um dos patamares mais altos desde o início da Atlas One e similar ao nível que verificamos no auge da pandemia em março/20, o que reforça a assimetria positiva do momento atual para investimento em renda variável. Aspectos macro tem dominado as narrativas no curto prazo, mas quando olhamos o micro das companhias continuamos bastante construtivos. Seguimos preponderantemente comprados e com concentração de 62% nas 10 principais ações do portfólio, sendo nossas 5 maiores posições Magazine Luiza, B3, Intermédica, Locamérica e Suzano.

  • OPPORTUNITY

    OPPORTUNITY ICATU PREV

    • OPPORTUNITY ICATU PREV - 30.869.348/0001-80

      (Setembro) Apesar do impacto positivo decorrente do avanço dos programas de vacinação, indicadores vem apontando uma desaceleração no ritmo do crescimento global ao longo do segundo semestre. Desenvolvimentos recentes adicionaram complexidade ainda maior a esse pano de fundo já desafiador. A crise de solvência da Evergrande, resultado da política de redução forçada na alavancagem do setor de imobiliário na China, confirma a ideia de que os pontos da agenda de “prosperidade comum” (tais como, metas agressivas para emissão de gases de efeito estufa, redução das desigualdades, maior aperto regulatório em setores “estratégicos”) se colocam em conflito direto com o objetivo de sustentar o ritmo de crescimento de curto prazo.
      Além disso, o Banco da Inglaterra deixando aberta a possibilidade de iniciar um processo de normalização de juros nos próximos meses e o FED surpreendendo o mercado indicando a preferência por realizar o tapering de forma mais rápida adicionaram ainda mais incertezas ao ritmo de crescimento global.
      No Brasil, permanece o ambiente de máxima incerteza com o futuro da política fiscal. No lado da economia, a inflação continua sem dar sinais de trégua, nos levando a acreditar que a Selic será levada para o nível de pelo menos 9%. O ambiente de incerteza fiscal, pressões de inflação reduzindo o poder de compra do consumidor e aperto monetário agressivo, somado a um cenário externo mais desafiador, continuará pesando sobre as perspectivas de crescimento da economia brasileira. Nesse sentido, reconhecemos riscos baixistas para nossa projeção de expansão do PIB no próximo ano, atualmente em torno de 1%.

      Estratégia Macro: No ambiente internacional, promovemos uma rotação de parte da nossa exposição em índices dos EUA para índices europeus e, em contrapartida, reduzimos exposição em ações de tecnologia nos EUA, que deverão sofrer maior impacto da mudança na retórica do Fed. Reduzimos ainda nossa exposição ao mercado acionário doméstico, em função das incertezas fiscais elevadas, do aperto monetário rigoroso e das perspectivas de forte desaceleração da atividade. No mercado de juros, adicionamos exposição nos países do Leste Europeu, junto às demais posições tomadas na curva de juros nos EUA, México e Chile. Continuamos sem exposição direcional na curva de juros nominal doméstica. No mercado de câmbio, continuamos adotando uma posição taticamente comprada em dólar, e adicionamos ainda posições compradas nas moedas do Leste Europeu, financiadas no euro.

  • PACÍFICO GESTÃO DE RECURSOS

    PACÍFICO GESTÃO DE RECURSOS

    • PACIFICO ICATU PREV FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO - 35.504.169/0001-63

      (Setembro)

  • PANAMBY CAPITAL

    PANAMBY CAPITAL

    • PANAMBY MULTIMERCADO FIE ICATU PREV FI - 37.332.385/0001-02

      (Setembro) Em setembro, concretizaram-se várias das discussões e expectativas de medidas que vinham sendo gestadas nos últimos meses. A política monetária americana deu mais um importante passo na redução dos estímulos, comunicando de forma assertiva e permitindo que os agentes se preparassem para a normalização do juro mundial. Enquanto isso, sinais de crescimento econômico global são de menor vigor. É possível que o mês de setembro 2021 seja visto como tendo sido o ponto de inflexão na política monetária, resultando num menor fluxo de capitais para economias e moedas emergentes no futuro próximo. Nossa estratégia teve boa performance no mês com resultados positivos em juro local e internacional, em moedas e ações. Nossa visão para o cenário é de perda de valor em ativos brasileiros na comparação com o externo e, portanto, carregamos posição vendida ou zerada em Real, assim como em bolsa brasileira. Cenário global é de juro em alta e nossa posição é na mesma direção.

  • PERSEVERA ASSET MANAGEMENT

    PERSEVERA ASSET MANAGEMENT

    • PERSEVERA COMPOUNDER ICATU PREV FC DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO - 39.703.185/0001-36

      (Setembro)

  • RPS CAPITAL

    RPS PREV ABSOLUTO ICATU FIC FIM

    • RPS PREV ABSOLUTO ICATU FIC FIM - 31.340.875/0001-66

      (Setembro) Setembro foi um mês negativo para os mercados com o índice norte-americano S&P e de países emergentes apresentando queda de 4,8% e 3,9%, respectivamente. Assim como vimos no mês anterior, a China continuou a implementação de medidas regulatórias com impacto no setor imobiliário, culminando em preocupações com a desaceleração da atividade devido ao peso do segmento na economia chinesa. Além disso, o banco central americano realizou sua reunião de política monetária em meados do mês, sinalizando a redução do ritmo de compra de títulos até o meio de 2022. Indicou também que a recuperação do mercado de trabalho segue uma trajetória satisfatória e suficiente para medidas adicionais de normalização da política monetária. Com isso a mediana das projeções de juros estimadas pelo comitê se elevou, levando a uma reprecificação de juros no mercado americano, com impacto globalmente. Por fim, restrições de oferta somadas a retomada acelerada da demanda global têm gerado problemas de geração energética em várias regiões do mundo (Reino Unido, Alemanha, China etc.), exacerbando o movimento de subida dos juros e preocupações com a atividade.
      O fundo obteve um resultado negativo no mês, sendo a estratégia beta responsável pela totalidade dessa performance, parcialmente mitigada pela estratégia alpha no Brasil. Do ponto de vista temático, os setores de empresas dolarizadas, bancos e defensivos domésticos geraram retornos positivos, sendo JBS e Assaí as maiores contribuições individuais. As maiores posições detratoras de resultado individualmente estavam ligadas aos setores cíclicos (Ternium e Cemex) e de tecnologia (Zenvia), ambos fora do Brasil.
      A despeito de uma política monetária um pouco mais restritiva a frente, nossa visão para os mercados globais segue positiva. Acreditamos que ainda estamos numa fase de “mid cycle”, na qual a atividade econômica deve continuar em nível elevada nos Estados Unidos, corroborada pelos dados de varejo melhores que antecipado durante o mês e contínua reabertura da economia pós pandemia. Nos emergentes, mantemos certa cautela diante do impulso monetário chinês ainda em território negativo, preocupações com atividade e inflação. Nossa maior exposição offshore atualmente segue sendo o setor de commodities (embora em menor magnitude), principalmente petróleo e aço nos Estados Unidos, que se beneficiam do processo de reabertura global e melhor equação de oferta e demanda.
      Em relação ao Brasil, continuamos com uma visão negativa. Temos presenciado uma inflação galopante sem sinais de arrefecimento, o que conjuntamente com os maiores juros americanos e apreciação do USD está obrigando o banco central a acelerar o ciclo de aumento de juros. Além de condições financeiras mais restritivas, o risco de uma crise hídrica ainda no radar, preocupações acerca das discussões fiscais recentes e confiança em queda geram um viés negativo para crescimento econômico brasileiro no próximo ano. Diante disso, nossa exposição direcional em Brasil é pequena atualmente e pretendemos continuar priorizando posições no mercado doméstico com viés a empresas de alta qualidade que podem entregar crescimento pouco correlacionado com o crescimento da econômica como um todo.

  • SANTANDER ASSET MANAGEMENT

    SANTANDER ASSET MANAGEMENT - LARK E STRIX

    • SANTANDER ICATU LARK I CP FIC FI ESP CONSTITUÍDOS RF - 14.325.933/0001-63

      (Setembro) O desempenho dos ativos de renda fixa foi negativo, exceto as NTN-Bs de curto prazo. As curvas de juros nominais e reais tiveram altas na maioria dos vencimentos. Os
      principais fatores: (i) adição de prêmios de risco nos juros americanos, com a retirada de estímulos monetários; e (ii) BCB optou por nova alta de 1% na Taxa Selic e adotou
      tom mais firme na comunicação. Mantemos visão de que há prêmio na curva de juros, no entanto, as incertezas fiscais e a pressão inflacionária tornam o cenário
      cauteloso. Ressaltamos, mantemos baixa utilização de risco. Decidimos pela manutenção do menor nível de risco utilizado, com alteração entre os ativos. Aumentamos a
      parcela atrelada à inflação em detrimento da parcela atrelada aos juros nominais. Mantemos posições em NTN-B de vencimento em 2023 e pré-fixado de vencimento em
      2024, diante do nível embutido nas curvas.
      Apesar da abertura da curva de juros nominais e da leve adição de riscos na curva de juros reais, a baixa utilização de risco e o atrativo carrego atrelado às nossas posições
      auxiliaram a defender a performance do portfólio.
      Por fim, mantemos visão levemente positiva para a Renda Fixa, e manutenção do risco em patamar conservador, priorizando ativos de menor duração.

    • SANTANDER ICATU STRIX FI ESPECIALMENTE CONSTITUÍDO MM - 17.340.337/0001-40

      (Setembro) O mês apresentou dinâmica movimentada para os ativos de risco. No cenário internacional, a preocupação com o potencial contágio de uma das empresas do setor
      imobiliário chinês desencadeou aversão a risco generalizada. Nos EUA, o FOMC decidiu por manter o nível atual de juros, porém sinalizou iminência no processo de
      retirada de estímulos, que deve ter início na próxima reunião de novembro. Localmente, o Banco Central optou por nova alta de 1% na taxa Selic, em linha com
      expectativas, porém adotou viés mais firme na comunicação. O Fundo apresentou desempenho abaixo do CDI, os principais detratores de valores foram o posicionamento
      em Bolsas local e em moedas. Ao longo de setembro, zeramos nossa posição em juros nominais locais.
      Por fim, continuamos com visão neutra para os ativos de risco, sustentada pelos prêmios presentes na curva de juros local e o cenário internacional construtivo. Pelo lado
      da bolsa local, mantemos perspectiva favorável atrelada ao processo de retomada econômica e múltiplos atrativos, porém, com o risco de que incertezas locais ligadas ao
      quadro fiscal possam continuar pesando para o lado negativo

  • SCHRODERS

    SCHRODERS

    • SCHRODER ICATU PREV LOW VOL FIM - 31.248.460/0001-67

      (Setembro) O fundo Schroder Icatu Low Vol apresentou uma performance abaixo do
      benchmark no mês de setembro, com contribuições positivas no mercado
      de crédito e termo de ações, negativas nos mercados de renda fixa e renda
      variável. Apesar da redução recente do ruído político após as
      manifestações no mês passado, o cenário local continua desafiador por
      conta das fortes pressões inflacionárias e das dificuldades na estruturação
      do novo Auxílio Brasil. Enquanto o governo continua procurando uma
      solução para a questão dos precatórios, o Congresso busca formas de
      mitigar o impacto das altas sucessivas nos preços dos combustíveis e do
      gás de cozinha, enquanto o Banco Central sinaliza uma política monetária
      ainda mais restritiva ao final do ciclo de alta da Selic, mesmo sem ter
      sancionado uma aceleração no ritmo. Junto a isso, vimos uma deterioração
      significativa no cenário externo, por conta da sinalização pelo Fed do início
      da retiradas dos estímulos monetários ainda neste ano com consequentes
      reduções nas compras de títulos, o que junto com as incertezas geradas
      pela crise na empresa chinesa de construção civil Evergrande, levaram a
      uma correção global dos ativos de risco, apreciação do dólar, e queda
      expressiva nos preços de diversas commodities.
      Nas estratégias de renda fixa, continuamos com posições aplicadas em
      vencimentos curtos de juros nominais e intermediários de juros reais.
      Aproveitamos o estresse recente para zerar nossas posições compradas
      em inflação implícita por entender que podemos estar perto do pico de
      inflação e continuamos com uma estrutura de opções de juros que se
      beneficia caso o Copom reduza o ritmo de aumento da taxa Selic na
      próxima reunião. Nas estratégias de renda variável continuamos com uma
      exposição reduzida esperando uma dissipação das atuais incertezas antes
      de voltar a aumentar. Na carteira de crédito compramos LFs BMG e
      debêntures Kallas e Wiz.
      Neste contexto, o fundo fechou o mês com performance absoluta positiva
      de +0,34% (76,58% CDI), acumulado 2021 de 3,27% (129,41% CDI) e em 12
      meses de 4,39% (146,01% CDI).

  • SPARTA

    SPARTA PREV ICATU D

    • SPARTA PREV ICATU D - 30.877.540/0001-19

      (Setembro) Em setembro o fundo teve uma rentabilidade de +0,65% (148% do CDI), acumulando +5,74% (192% do CDI) em 12 meses.
      O resultado em 12 meses do fundo comprova a excelente oportunidade que os ativos de crédito privado ofereceram em 2020 e que continuam a oferecer. Observamos fortes rentabilidades no mês a mês pelo fechamento de spreads de crédito, proporcionado pela crescente demanda da classe. Estamos conseguindo manter um carrego estável e elevado, que se traduz em boas perspectivas de retorno para frente.
      Setembro foi mais um mês muito forte no mercado primário e mesmo vindo em um volume pouco menor que dos últimos meses, conseguimos uma taxa média acima de CDI+2,0% nas alocações, nível ainda bastante atrativo. Os prêmios dos títulos AAA e AA tem diminuído pela demanda crescente, mas ainda temos conseguido encontrar boas oportunidades nos prazos mais longos. O reinvestimento da carteira tem permitido a manter bons prêmios e excelentes perspectivas de rentabilidade para a estratégia.
      Ainda sobre o mercado primário, vale destacar o elevado volume esperado para outubro, que somam R$20 bilhões em mais de 30 ofertas nas leituras recebidas. Essa grande oferta tem vindo em linha com a forte demanda, proporcionando a manutenção dos bons prêmios nos títulos.
      O risco de crédito da carteira permanece baixo e tendo como perspectiva tanto o atual ciclo de alta na taxa de juros, quanto o alto prêmio de crédito da estratégia, podemos afirmar que estamos em um excelente momento para investir nessa classe.
      A duration (prazo médio) do fundo permaneceu praticamente a mesma e o caixa está acomodado em 32%, nível confortável para a estratégia.
      Atualmente o fundo tem uma duration de 2,2 anos e um carrego de CDI+1,3%.
      Sobre o cenário atual, como essa estratégia é pós-fixada, com a elevação da taxa de juros, esse fundo acaba se beneficiando e servindo de proteção ao investidor.

  • SPX GESTÃO DE RECURSOS LTDA

    SPX LANCER ICATU PREV FIC FIM

    • SPX PREV LONG BIAS ICATU QUALIFICADO FIC FIM - 40.386.490/0001-20

      (Setembro) Os números de novos casos de Covid registrados globalmente caíram significativamente ao longo do mês de setembro. Com mais de 6 bilhões de doses de vacinas já aplicadas ao redor do mundo e um ritmo médio de 30 milhões de novas doses aplicadas por dia, o número de casos e mortes devem continuar caindo. Apesar de choques de oferta nos setores de energia e semicondutores, seguimos com uma visão otimista da recuperação da economia global.

      No Brasil, os indicadores relativos à Covid deram continuidade à trajetória de melhora. No campo político, a crise atingiu um ponto crítico no início do último mês, mas, logo em seguida, tivemos uma trégua nas tensões com o Judiciário. Aos poucos, o foco foi novamente direcionado para a agenda econômica, que, entretanto, segue evoluindo aquém do esperado, sobretudo no Senado. A proximidade do fim do ano e a falta de consenso nas propostas, também pesam contra uma evolução mais célere das reformas mais importantes. Enquanto isso, o cenário econômico segue bastante desafiador, principalmente na inflação, onde choques sucessivos e relevantes têm puxado as projeções para cima. Nesse ambiente, o Copom optou por manter o ritmo de aperto monetário em 1 ponto percentual, sugerindo que, no atual estágio do ciclo, prefere ter que levar a taxa Selic para um nível terminal mais alto a acelerar o ritmo de alta.

      No mês de setembro, reduzimos um pouco mais a exposição comprada em comparação com o mês anterior, portanto, o direcional segue abaixo do que consideramos neutro. Embora acreditemos que, após a queda dos últimos meses, alguns ativos específicos já precifiquem boa parte dos riscos mencionados, ainda preferimos manter uma postura um pouco mais cautelosa em termos de exposição agregada à bolsa brasileira, até que vislumbremos alguma melhora no cenário macroeconômico. Já no exterior, mantivemos uma pequena posição direcional comprada, bastante diversificada em termos de setores e geografia.

      Recentemente, reduzimos ainda mais os investimentos no setor de commodities – principalmente no setor de óleo & gás -, e aumentamos a exposição ao setor bancário e utilities. Não obstante, maior parte do portfólio está diversificada entre teses “micro” onde entendemos que o preço é atrativo, os fundamentos de médio prazo são sólidos e há catalisadores positivos para os próximos trimestres.

    • SPX LANCER ICATU PREV FIC FIM - 28.653.832/0001-26

      (Setembro)

  • STUDIO INVESTIMENTOS

    STUDIO INVESTIMENTOS

    • STUDIO 49 ICATU SEG PREVIDENCIÁRIO FIM - 21.494.454/0001-36

      (Setembro)

    • STUDIO ICATU PREV QUALIFICADO FI MM CP

      (Setembro) No Studio Prev Qualificado, as principais contribuições foram PRIO3 0.8, RECV3 0.5 e ENEV3 0.2, com BIDI11 -1.0, NTCO3 -0.9 e BPAC11 -0.8 consumindo parte da performance.

      A PetroReconcavo é uma operadora independente de petróleo e gás natural especializada no desenvolvimento e recuperação de campos produtores maduros onshore. Ao longo dos seus mais de 20 anos de experiência, a empresa praticamente quintuplicou o volume de reservas recuperáveis inicialmente estimado pela Petrobras nos ativos. Os resultados foram possíveis através da aplicação de diferentes técnicas de recuperação para o incremento e manutenção dos níveis de produção dos campos, bem como medidas voltadas para redução de custos. Outra oportunidade interessante que se apresenta já no curto prazo são as diferentes possibilidades de monetização do gás natural produzido pela operadora dentro do “Novo Mercado de Gás”. A tese em PetroReconcavo engloba perspectivas relevantes de crescimento orgânico e inorgânico, um grupo de controle experiente e um time de executivos com histórico de excelência e trabalhando juntos há mais de dez anos. Iniciamos uma posição comprada na empresa no momento de sua abertura de capital e continuamos entusiasmados com as oportunidades de curto e longo prazo.

      Abrimos outubro com exposição líquida de 97%. Os principais setores permanecem sendo Consumo (26%), Tecnologia (14%) e Financeiro (12%). As maiores posições são Equatorial, Hapvida, Natura e Mercado Livre. A carteira continua com um perfil menos concentrado, com os 10 maiores papéis ocupando 60% do portfolio.

      O racional de alocação em ações no Studio 49 é o mesmo acima, lembrando que ele se mantém 49% exposto ao mercado de renda variável brasileiro, com o restante em renda fixa de baixo risco.

  • TORK CAPITAL

    TORK CAPITAL

    • TORK ICATU PREV FIE - 36.352.384/0001-59

      (Setembro) Desenvolvimentos sobre diferentes temas marcaram a narrativa do mercado nese mês. Do lado positivo, observamos dados encorajadores em relação à pandemia. Do lado negativo, vimos o turbulento processo de default da Evergrande. A despeito da grande repercussão desse episódio, seguimos acreditando que o principal risco para frente é um processo inflacionário mais forte que o esperado pelo mercado, criando a necessidade de aperto monetário tesmpestivo por parte dos bancos centrais ao redor do mundo.
      No Brasil, apesar de vermos a “foto” da atividade e do quadro fiscal de forma positiva, seguimos cautelosos em relação ao “filme” para frente, especialmente à luz das eleições em 2022 e da necessidade de um patamar de juro mais alto para combater a inflação alta que já vivemos.
      Entretanto, seguimos acreditando que, com a underperformance muito marcada dos ativos brasileiros, papéis de alta qualidade sofreram bastante e hoje vemos casos de empresas muito boas com nível de valuation atrativo. Nesse sentido, por ora seguimos com a estratégia de adaptar o portfólio com maior foco em qualidade de forma a enfrentar o cenário mais turbulento sem que haja uma necessidade de um corte dramático em nossa exposição.
      O fundo Tork Icatu Prev FIE teve uma rentabilidade de -3,95% no mês contra um Ibovespa de -6,6%, desde o início o fundo acumula +5,9%. As principais contribuições positivas vieram de PetroRio (+0,52%), Petrobrás (+1,84%) e Asaí (+0,75%). Os principais detratores foram Banco Inter (-1,54%), Natura (-0,71%) e Interméfica (-0,62%).

  • TRAFALGAR INVESTIMENTOS

    TRAFALGAR INVESTIMENTOS

    • TRAFALGAR CONQUEROR ICATU PREV FIC FIM - 32.760.006/0001-53

      (Setembro)

  • TRÍGONO CAPITAL

    TRÍGONO CAPITAL

    • TRÍGONO ICATU 100 FIA PREV - 35.610.342/0001-08

      (Setembro) O fundo – aberto em 14 de Julho de 2020 (portanto, completando 14,5 meses desde seu lançamento) – teve uma queda de 3,95% em setembro, acumulando um ganho de 43,9% no ano, contra uma perda de 6,57% do IBOV no mês e -6,75% no ano. Ou seja, são 50,6% de excesso de retorno apenas neste ano para nosso fundo. Desde seu início, a valorizaçao é de 73%, enquanto o IBOV, no mesmo período, subiu apenas 10,5%, ampliando o alfa para 62,5% desde seus inicio em menos de 15 meses. Apenas em setembro de 2020 e mesmo mês em 2021 o Trígono Icatu teve desempenho negativo (-4,46% em 2021 e 3,9% em 2021), mais ainda um recuo menor que o do IBOV (-4,8%) naquele mês de 2020 e 6,57% no mesmo mês neste ano. Nossa volatildade anual foi inferior ao IBOV, 20,5% para o nosso fundo e 20,9% do IBOV, o que reforça ainda mais a significância do alfa gerado.
      As maiores contribuições positivas vieram da Mineração e Metalurgia (1,43%) e Agronegócio (0,74%). Já as contribuições negativas vieram da Tecnologia (-2,79%), Indústria (-1,85%) e Logística (0,66%). Valem os racionais das explicações já apresentadas. Destacamos que não há qualquer posição de large caps dentro da carteira (o foco são as small caps) e que 81% da carteira estão alocados nos setores Industrial, Mineração e Metalurgia, Agronegócio e Logística.
      Se compararmos o desempenho do Fundo com o índice SMLL (small caps), nos últimos 12 meses, também houve alfa substancial: 74,8% de retorno anual do Trígono Icatu 100, ante 15,8% do SMLL. Ou seja, também em relação às small caps, nosso desempenho foi bastante superior (ou 59% de alfa, equivalente a 4% a cada mês, de forma composta).

  • TRUXT INVESTIMENTOS

    TRUXT MACRO PREV ICATU FIC FIM

    • TRUXT MACRO PREV ICATU FIC FIM - 29.733.120/0001-80

      (Setembro) O fundo TRUXT MACRO PREV teve resultado novamente positivo em setembro (+0,9%), causado principalmente pelas posições tomadas em juros locais e no exterior e comprada no Dólar contra o Real, na esteira de uma visão mais hawkish por parte dos principais Bancos Centrais ao redor do mundo, especialmente o FED, e da deterioração do cenário fiscal no Brasil. Do lado negativo, o fundo obteve perdas nas posições compradas em índices acionários no Brasil e nos EUA, seguindo um movimento de desvalorização de bolsas globais no mês, por conta de uma maior aversão a risco advindos de números mais fracos de atividade com maior inflação, além de riscos específicos do mercado chinês.

  • VERDE CAPITAL

    VERDE CAPITAL

    • VERDE AM LONG BIAS 70 ICATU PREV FIE FIM - 35.363.972/0001-25

      (Setembro) ATRIBUIÇÃO DE PERFORMANCE: A bolsa brasileira teve um mês de forte queda em setembro, com o Ibovespa recuando 6,6%, impactada pelo cenário externo negativo. O desempenho do fundo foi impactado por este cenário, com contribuições negativas pulverizadas entre diferentes ações. As principais foram das empresas BR Distribuidora, Suzano e Natura, que recuaram entre 10% e 13%. Apesar da performance negativa da bolsa no mês, duas ações do fundo tiveram um desempenho muito bom: PetroRio e Assaí. A alta de 30,5% das ações da PetroRio foi consequência da expectativa de que ela consiga comprar ao menos um dos campos de produção de petróleo do sistema Albacora, da Petrobras. Caso a aquisição de fato se concretize, terá um potencial de geração de valor muito relevante para a empresa. Fora isso, a alta dos preços de petróleo no mercado internacional também contribuiu com a boa performance da ação. As ações do Assaí tiveram valorização de 13,3% no mês. Ao longo da última década, a companhia cresceu cerca de 30% ao ano, com um retorno sobre o capital investido bastante elevado, de cerca de 25%. Na nossa opinião, o Assaí deverá ter vários anos de crescimento robusto e liderar a consolidação do setor.
      POSICIONAMENTO: O fundo está com exposição líquida alta a ações, ao mesmo tempo que possui grandes investimentos no setor elétrico e commodities (principalmente papel e celulose), que protegem a carteira em caso de um agravamento da crise no país. Os setores de planos de saúde, distribuição de combustível e consumo também são relevantes.

    • VERDE AM ICATU PREV FIC DE FIM PREV - 23.339.936/0001-47

      (Setembro) CENÁRIO: A percepção de que o governo está cada vez menos comprometido em cumprir o teto de gastos, o impasse sobre o orçamento da União para 2022 e as turbulências políticas causaram uma relevante correção nos preços dos ativos ao longo dos últimos meses. Consideramos que há excelentes oportunidades de investimento na bolsa, mesmo levando em consideração esses riscos.
      ATRIBUIÇÃO DE PERFORMANCE: As principais contribuições positivas vieram das posições em juros reais e do hedge no dólar. As parcelas investidas em bolsa tanto brasileira quanto global geraram retornos negativos para o fundo esse mês, assim como a posição aplicada em juros nominais.
      POSICIONAMENTO: Em termos de posicionamento, o fundo manteve praticamente inalteradas a maior parte das posições investidas, com exceção da exposição em bolsa global, que foi aumentada após a correção recente.

  • VINCI PARTNERS

    VINCI EQUILÍBRIO ICATU PREV II FIC MM

    • VINCI EQUILÍBRIO ICATU PREV II FIC MM - 23.964.741/0001-98

      (Setembro) O Fundo, que visa ganho real, obteve ganhos nas posições compradas em títulos públicos ligados à inflação, tomada no juro nominal em dólar e tomada no juro nominal e perdeu na posição comprada em uma carteira de ações boas pagadoras de dividendos.
      No âmbito internacional, o FED (Banco Central Americano) sugeriu um início de retirada de estímulos a partir de novembro, seguindo gradualmente até meados de 2022. Uma alta de juros deve ficar para o final do ano que vem. Na China, a crise de uma grande incorporadora gerou aversão a risco ao longo do mês, enquanto a economia continua apresentando sinais de arrefecimento. A crise energética mundial é um tema a se acompanhar, pois vem pressionando os índices de preços na zona do Euro e no mundo.
      No Brasil, a inflação continua com pressão de alta, dado os preços de energia pressionados devido à crise hídrica e as geadas que afetaram produção agrícola e os preços de serviços sendo puxados pela reabertura da economia. Dessa forma, o Banco Central deve estender o ciclo de alta de juros, mas mantendo o ritmo de elevação. A resolução da situação dos precatórios e o tamanho dos benefícios sociais adicionais permanecem como riscos a serem acompanhados.

  • VINLAND CAPITAL

    VINLAND CAPITAL

    • VINLAND MACRO PREV ICATU QUALIFICADO FIC FIM - 37.893.304/0001-35

      (Setembro) O fundo VINLAND MACRO PREV ICATU QUALIFICADO FIC FIM terminou setembro com performance de 2.11% (481% do CDI), A estratégia de juros locais apresentou variação positiva com posições que se beneficiaram da alta da Selic e com a dinâmica ruim na parte média da curva em decorrência de ruídos políticos e números piores de inflação. As implícitas curtas compradas também contribuíram positivamente. Os Juros globais tiveram ganhos em todos os países em que temos posições: Chile, Colômbia, México e EUA, com destaque para o Chile, que surpreendeu o mercado aumentando em 75 bps a taxa básica de juros. Nos EUA, a comunicação com tom mais hawkish do FED contribuiu para alta das taxas nas Treasuries. A estratégia de moedas teve variação próxima de zero. A estratégia de renda variável apresentou variação negativa. Os destaques positivos foram posições em empresas do setor de petróleo, proteínas e nas empresas globais de fertilizantes. Também foram destaques positivos nossas posições vendidas em empresas do setor Financeiro e comércio eletrônico. No lado negativo, destacamos nossos investimentos em empresas do setor de varejo físico, saúde no Brasil e setor Financeiro nos EUA.

      O posicionamento do fundo reflete nosso viés positivo para a continuidade da expansão da atividade econômica, especialmente na economia americana, onde concentramos uma maior posição comprada em Bolsa. O movimento de retirada de estímulos por parte de economias emergentes e EUA segue fazendo parte do portfólio através de posições tomadas nas curvas de juros desses países. Mantemos também compra de inflação curta americana. Na bolsa, nossos principais investimentos são em empresas do setor agrícola, farmácia e supermercado doméstico e tecnologia nos EUA. Em juros Brasil, seguimos com posições de arbitragens na parte curta da curva que se beneficiam da continuidade do ciclo de normalização, além de inflação implícita curta comprada.

  • VITREO

    VITREO

    • VITREO FOF SUPERPREVIDÊNCIA 2 ICATU FIM - 33.269.171/0001-70

      (Setembro) Setembro foi um mês extremamente agitado e terminou com resultados negativos para os ativos de risco. No Brasil, após ir abaixo de 110 mil pontos, o Ibovespa fechou com queda de 6,57%, enquanto o índice de small caps teve resultado negativo de 6,43%. Diferente de agosto, as bolsas globais não apresentaram bom desempenho. O S&P500 fechou em -4,76%, o Nasdaq 100 em -5,73% e o MSCI World em -4,29%. Todos os resultados com os índices em sua moeda original.

      As criptomoedas também se desvalorizaram, sendo que o Bitcoin em dólar teve queda de 7,16%. Em contraposição, as proteções reforçaram a importância da diversificação. Nas moedas fortes, tanto o dólar comercial como o euro se valorizaram frente ao real, tendo altas de 5,06% e 3,77%, respectivamente. Já o ouro subiu 1,84% no mês.

      O FoF SuperPrevidência encerrou mais um mês negativo, com queda de 1,66%. Além de um ambiente global desfavorável, as peculiaridades brasileiras não contribuíram para o bom desempenho da bolsa local. Isso impactou consideravelmente o portfólio, que carrega uma posição estrutural de cerca de 30% em bolsa, principalmente entre fundos Long-Only, que de forma geral, tiveram quedas superiores ao Ibovespa. Os fundos Long Biased também sofreram no mês, mas seu mandato mais flexível refletiu em uma queda menos acentuada do que a bolsa.

      As posições internacionais foram beneficiadas pela alta do dólar, com SPXI11 entregando um retorno de 0,27% e o Pimco Income Dólar FIM IE com 6,18%. Ainda considerando a exposição cambial, as posições em ouro e diretamente alocadas em dólar também contribuíram positivamente para o portfólio.

      Os fundos multimercados tiveram desempenhos mistos, e em linhas gerais, os que entregaram retornos positivos, tiveram ganhos vindos das posições tomadas em juros e posições compradas em dólar. Destaque para o Kinea Atlas Prev, que obteve resultados positivos em todos os books.

      Atribuições negativas foram observadas nas alocações em criptomoedas e para os títulos de inflação de prazos longos.

  • WESTERN CAPITAL

    WA ICATU RENDA FIXA ATIVO PREV FIC FI

    • WA ICATU RENDA FIXA ATIVO PREV FIC FI - 23.872.787/0001-87

      (Setembro) O mês de Setembro trouxe uma nova rodada de deterioração da percepção de risco local, que se somou a uma piora do apetite a risco dos investidores internacionais. Localmente, o Banco Central trouxe um discurso mais duro contra a inflação que continuou a surpreender para cima. Essa combinação fez com que as taxas de juros pré-fixadas apresentassem uma forte elevação ao longo do mês, somando mais de 2% de alta ao longo do trimestre. No âmbito externo, os riscos vindos da preocupação do mercado com crescimento econômico e inflação global também contribuíram para esse processo de alta. Voltamos a reduzir as exposições a risco de mercado no portfolio, dada a baixa convicção nos fundamentos econômicos. As posições em crédito privado voltaram a contribuir para o desempenho do fundo, minimizando o impacto trazido pela alta das taxas de juros.
      Apesar do desempenho nominal positivo, o fundo apresentou retorno abaixo do CDI no mês, tendo sido impactado pela alta das curvas de juros no período. Ao longo do mês, voltamos a reduzir a utilização de risco dentro do portfolio, o que, mais uma vez, evitou impactos ainda mais significativos. A carteira de crédito do portfolio, voltou a adicionar valor e continuamos a acreditar que, de forma gradual, essa parcela deva manter uma trajetória positiva ao longo dos próximos meses.

  • Planos administrados pela Icatu Seguros S/A

     

    Planos administrados pela Icatu Seguros S/A, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 42.283.770/0001-39. Os planos de risco de previdência foram aprovados pela SUSEP sob os números: Pecúlio por Invalidez

    (SUSEP: 15414.900869/2017-18), Renda por Invalidez (SUSEP: 15414.901518/2017-24), Pecúlio por Morte (SUSEP: 15414.900119/2016-65), Pensão por Prazo Certo 1 ano (SUSEP: 15414.900121/2016-34), Pensão por Prazo Certo 5, 10, 15 e 20 anos (SUSEP: 15414.900122/2016-89). A aprovação dos planos pela SUSEP não implica, por parte da Autarquia, incentivo ou recomendação à sua comercialização.

    O proponente tem a possibilidade de opção ou não pelo critério de tributação por alíquotas decrescentes. A Icatu Seguros não promete rentabilidade e/ou resultados financeiros durante os períodos de diferimento e de pagamento do benefício sob a forma de renda, com base no desempenho do respectivo fundo de investimento, no desempenho alheio ou no de quaisquer ativos financeiros e/ou modalidades operacionais disponíveis no âmbito do mercado financeiro. Sobre o valor do resgate haverá incidência de impostos na forma da legislação em vigor. Fundos de Investimentos não contam com a garantia do administrador do fundo, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados/rentabilidade futura.

    É recomendável a leitura cuidadosa do Regulamento do Fundo de Investimento pelo investidor ao aplicar seus recursos. O participante/segurado poderá consultar a situação cadastral de seu corretor de seguros, no site www.susep.gov.br, por meio do número de seu registro na SUSEP, nome completo, CNPJ ou CPF. Informações resumidas. Para total conhecimento das características deste produto, consulte sua proposta de contratação e o regulamento do plano aqui.