Como a mesada pode te ajudar a ensinar o valor do dinheiro para seu filho

A mesada educativa é uma estratégia importante para auxiliar os pais na educação financeira das crianças. Confira aqui as nossas dicas!

Você já deve ter assistido àquela cena de uma criança, de forma manhosa e insistente, pedindo aos pais o brinquedo da moda, não? E, no final, depois de tanto pedir, ainda conseguiu o tão desejado presente. Pois é, educar a criançada a saber cuidar e dar o real valor ao dinheiro é uma das difíceis tarefas dos pais. E uma boa forma de começar a ensinar valores e a responsabilidade financeira para os pequenos é através da mesada. Mas muitas dúvidas surgem na hora de começar esse processo. Quando? Como? Quanto? Vamos te ajudar!

Quando?
Até 5 anos, é interessante começar a dar pequenas quantias para as crianças e estimular a que façam pequenas escolhas e compras. Nesse período, as crianças vão começar a entender a troca entre dinheiro e o que desejam. Também é o momento para começar um cofrinho.

Aos 6 e 7 anos é o momento de começar com um valor semanal, uma semanada. Nessa fase, as crianças estão começando a ter noções de matemática, mas ainda não têm uma visão ampla de tempo. O valor por semana é de fácil entendimento com a rotina da escola e o fim de semana.

Entre 8 e 11 anos, a semanada pode passar para uma “quinzenada”, como uma transição para a mesada. Isso vai começar a dar uma noção de responsabilidade para a criança com o controle do dinheiro e, principalmente, para não gastar tudo de uma vez só.

A partir dos 12 anos já é possível iniciar o pagamento mensal. Nessa etapa, as crianças terão que controlar ainda mais seus gastos para fazer o dinheiro durar todo o mês e guardar para compras mais caras. Porém, não impeça seu filho de cometer erros. Erros são importantes para aprenderem a lidar com as consequências de seus atos e com os sentimentos de frustração ou arrependimento.

Como?
Todas as regras da mesada devem ser combinadas e explicadas com antecedência para o pequeno, principalmente o que a criança deve comprar de agora em diante com aquele dinheiro e o que ainda será por conta dos pais. Importante ressaltar que a mesada é uma ferramenta para que seu filho aprenda a lidar com o dinheiro e não deve ser uma remuneração por trabalhos domésticos ou compensação ligada às notas da escola. Essas são obrigações da criança independentemente da mesada.

No entanto, é possível combinar um valor extra para tarefas especiais que incentivem o empreendedorismo da criança, como lavar o carro do pai, cuidar do jardim, ou qualquer outro afazer que fuja do cotidiano.

Quanto?
Não há um valor exato. É importante que haja uma progressão de acordo com a faixa etária da criança, de acordo com sua maturidade para entender o valor do dinheiro e a responsabilidade em tomar decisões financeiras. Para definição da quantia, é interessante buscar entender o quanto os amigos do seu filho recebem, e com isso manter a mesada dentro do valor médio dos colegas.

Além disso, você deve entender o que seu filho consome com a mesada para que a quantia possa atender essas demandas e ter uma pequena folga para que ele aprenda a economizar para outras compras especiais.

Não se esqueça também que o hábito de poupar deve ser estimulado desde a infância. Então, incentive seu filho a poupar 20% da mesada dele para depois conseguir comprar aquele brinquedo que tanto quer. E não deixe de planejar o futuro financeiro dele. Iniciar um plano de Previdência é uma boa forma de se preparar para o sonho da faculdade, carro ou intercâmbio para quando seu filho estiver mais velho.

Leia também: A educação financeira do seu filho começa na infância

Simuladores

Encontre o produto ideal para você